dançando nossa canção...

| 29 setembro 2010 | 0 Comentários |

Irei recolher-me em nosso apartamento, de paredes amareladas descascando, com um colchão velho no chão e assoalho de madeira. que range ao menor movimento. E, ao acordar, vamos dançar; não o nosso último, mas o próximo de muitos outros tangos em nossa decadente Paris…
| 17 setembro 2010 | 1 Comentários |

Durante o inverno, sob seus cobertores... o fogo cresce aqui dentro...
| | 0 Comentários |

Queria ter deixado algo mais com você, além do meu cheiro em seu travesseiro...

miles away

| 14 setembro 2010 | 0 Comentários |


Embora milhas distante, estamos sob as mesmas estrelas. O véu da noite nos cobre com sua beleza misteriosa.
Telepaticamente nossas mentes se fundem, como nossos corpos o fizeram há algumas horas... A lua nos sorri, um sorriso bobo, quase indolente.
E o vento sopra em meu rosto, acariciando minhas faces trêmulas, ainda do desejo que você me deixou, impregnado em meu ser.


E minha confusão aumenta...

Pensas em mim, neste momento, no instante em que meu corpo e minha cabeça estão preenchidos de você?
Olho para a linda noite vista de uma janela, e no meu íntimo ouço uma resposta.

E então sorrio...

Solidão mútua.

| | 0 Comentários |

Renda-se. Eu o fiz...

O suave perfume embalou meus sentidos, despertou sensações e memórias há muito reprimidas. Apenas mais uma vez, agarre-se na recordação do sorriso. O que restará no fim de tudo... as lembranças. Um segredo. Uma solidão mútua...
| | 0 Comentários |

Momentos passados não se repetem e não podem esvanecer por completo. Não existe uma fórmula mágica para preservar o encanto das coisas.
Só a memória permanece. Só a memória perdura os tantos encontros de corpos, almas e mentes...

The Wind...

| | 0 Comentários |
E volto ao mesmo lugar. O vento hoje me abandonou. Quero sentir o perfume outra vez, o sussurro em meu ouvido, da natureza que me toca suavemente...
E o vento não me traz a mesma sensação.


Estou sozinha hoje...

Walking...

| | 0 Comentários |

E ouço o balanço suave da mesma canção. Aspiro seu perfume e evoco sua lembrança.

Sair para caminhar...

amplitude dos sentidos.

| | 0 Comentários |


E o vento sopra em minha pele. Sinto cheiros desconhecidos até então, e agradáveis em sua essência. O cheiro do vento, das folhas caindo e de meus fios de cabelo. Aspiro o perfume emanado da tinta sobre o papel e percebo onde estão as coisas que me dão prazer.Serei eu uma hedonista envolta em penumbra?

pura Sonoridade...

| 13 setembro 2010 | 0 Comentários |

Fecho meus olhos e me concentro apenas no som que pulsa em meus ouvidos. Sinto a música em todas as suas minúcias. Separo os instrumentos, aumento ou diminuo as vozes. Todos os seus altos e baixos são perceptíveis. É música pura, é sonoridade fascinante. E entro numa espécie de torpor aliada à êxtase. É perigoso, é curioso, é sentível e inexplicável.

Tempo

| | 0 Comentários |

E perdi a noção de tempo ao meu redor. Todo o tempo...

I´m strange...

| 02 setembro 2010 | 0 Comentários |

É muito estranho tudo isso, mas eu sou estranha. É como me acham por aqui, é como me sinto, é como sempre fui. E isso não me incomoda. Não mais.
O que me incomoda são as questões dentro da minha cabeça. Os 'por ques' que regem meu mundo tão sem graça e sem sentido... empty...

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...