Histórias fantásticas selecionadas pelo Mestre Neil Gaiman - Criaturas Estranhas

| 31 dezembro 2016 | 7 Comentários |
Aos conhecedores da obra de Neil Gaiman, não é de se admirar que nessa coletânea Criaturas Estranhas, publicada recentemente pelo Selo Fantástica Rocco hajam histórias repletas de seres fantásticos e sem esquecer o elemento de terror em cada uma delas... Gaiman conseguiu compilar textos intrigantes, mesclando autores clássicos e contemporâneos... O livro conta com um conto da autoria dele também, intitulado Pássaro do Sol, uma história envolvendo gastronomia exótica, cinzas e renascer...

Ao todo, são 16 histórias, entre as quais O grifo e o cônego menor, de Frank R. Stockton, Gabriel-Ernest, de Saki e Venha, dona Morte, escrito por Peter S. Beagle, que conta a história de uma senhora orgulhosa e bastante rica, que resolve dar  uma festa para uma convidada especial: a Morte


Seres como unicórnios, lobisomens e até uma mancha negra de origem desconhecida formam o zoológico fantástico apresentado ao longo de 400 páginas que compõem a obra. Além dos nomes acima mencionados, essa antologia conta também com textos de E. Nesbit, Samuel R. Delany e Anthony Boucher. Temos também Megan Kurashige e Diana Wynne Jones, entre outros...

Como fã de lobisomens, há duas histórias a respeito dessa criatura mitológica que ele selecionou. Tais criaturas só encontram espaço na imaginação do leitor. Uma das histórias mais impressionantes é Ozioma, a maligna, escrita por Nnedi Okorafor... Ozioma é uma menina de 12  anos que tem o dom de conversar com cobras... Essa particularidade faz com que ela seja vista com desconfiança por todos que habitam sua tribo, inclusive sua família... Mas na hora da necessidade, é a ela que pedem ajuda...

A primeira história tem um título impronunciável, impossível até de escrevê-lo... Trata-se de um borrão, simbolizando bem o 'monstro' que vamos encontrar ao longo da leitura... Saki nos apresenta uma Fera na floresta...ou quem sabe um pequeno garotinho... Em O voo do cavalo, é necessária uma viagem no tempo para procurar um cavalo há séculos extinto...

Criaturas Estranhas promete agradar o público que adora uma boa Fantasia, quem busca breves leituras e a quem procura um horror fora do comum na literatura. Nada é convencional nesse livro, e a experiência de leitura certamente vai conduzir o leitor a mundos inatingíveis, a personagens peculiares e uma viagem pelo mundo da imaginação, rememorando quem sabe a lembranças da própria infância... 

A ilha misteriosa, de Julio Verne

| 29 dezembro 2016 | 7 Comentários |
 A ilha misteriosa foi publicado em 1874, e é mais um dos romances de aventura que trago  resenhado aqui no blog. Dono de uma escrita fluída e  cativante, Julio Verne é um dos grandes precursores do gênero Ficção científica na literatura... Nesse livro em questão, conta-se a história de cinco prisioneiros que empreendem uma fuga num balão e que acidentalmente desembarcam numa ilha deserta em meio ao Oceano Pacífico

Nessa ilha, eles precisam se unir para sobreviver usando dos recursos que aquele pedaço de terra dispõe. Eles formam uma espécie de colônia, e a medida que o tempo passa, vão perdendo as esperanças de algum navio atracar naquelas paragens... Curioso citar Top, um cachorro que os acompanhou na fuga mal-sucedida no balão...

Eles se alimentam de mariscos, raízes, pesca, caça, precisam conservar fogo, arrumar um abrigo, e em meio a algumas situações de risco, percebem que há algo estranho na ilha... seria um ser misterioso que acaba ajudando sem querer ser visto. O motivo desse auxílio ainda é desconhecido, tanto para o leitor quanto para os personagens. Logo surgem outros personagens, que são inseridos de maneira impactante na trama...

A ilha misteriosa é ambientada na época da Guerra Civil americana. O grupo de prisioneiros é composto de um engenheiro ferroviário [Cyrus Smith] e seu fiel servo [Nabucodonosor, chamado por Nab], e o cão. Um marinheiro e seu filho [Pencroft e Herberto, respectivamente], e o jornalista Gideon

É impossível falar algo mais que não seja arriscado dar spoiler, então prefiro deixar com vocês a descoberta dos segredos da ilha. Em dado momento, surgem mais dois personagens na história, tendo papeis importantes para o desfecho. Mesmo se tratando de  um clássico de aventura do século XIX, a escrita é agradável e  em momento algum soa cansativa  para  aqueles que não tem o hábito de leituras  clássicas. As descrições narrativas são um atrativo que deixa a leitura envolvente, a ponto de não largar o livro até o final...


Indicado para jovens leitores, para os antigos, para aqueles que buscam aventuras com direito a piratas, sobrevivência nos mares e narrativas ágeis e surpreendentes... Se você nunca leu nada de Julio Verne, aconselho a começar por outro título dele. Não por  dificuldade de compreensão, mas a fim de  não estragar elementos-surpresa na narrativa/cronologia... Em breve posso fazer um post/guia de leituras das obras do autor. Sugestões? Podem deixar nos comentários...

Espero que tenham curtido a resenha. A ilha misteriosa foi um dos títulos escolhidos para a Maratona de Natal 2016. Saiba mais clicando aqui.


O amor, as mulheres e a vida - Antologia de Poemas de Amor...

| 28 dezembro 2016 | 9 Comentários |
A antologia O amor, as mulheres e a vida é uma compilação de poemas escritos pelo poeta uruguaio Mario Benedetti. Em sua maioria, são versos que apresentam a figura da mulher que possui força,  que usa do amor como uma espécie de antídoto para suportar as agruras da morte.

Benedetti é um dos nomes mais conhecidos da literatura espanhola. A inspiração para o título veio a partir de uma obra de Arthur Schopenhauer, mas Benedetti faz a assimilação da mulher com a figura da vida,  e não da morte, como havia escrito Schopenhauer... Expõe o amor como elemento que representa várias situações na vida, desde a sua brevidade ou longitude à construção ou espontaneidade com a qual se desvela.

"Varão urgente
fêmea repentina

não percam tempo
queiram-se

deixem tudo no beijo
apalpem a carne nova
gastem o coito único
destruam-se

sabendo

que o tempo passará
que está passando

que já passou
para os dois
urgente velho
anciã repentina."



Há certo caráter sexual em alguns trechos, metamorfoses que revelam tal sentimento sem cair no pieguismo, mostra também o amor por ideias revolucionárias, por amigos e pela liberdade. A escrita do poeta se conecta com o leitor, por interpretar tão bem os sentimentos humanos. Benedetti dá voz aos pensamentos que não se articulam verbalmente. E com maestria ao usar tais palavras...

Em suma, foi uma bela descoberta literária, e logo pretendo ir além em sua obra... Recomendo a todos que precisam de  palavras encantadoras, que sentem urgir dentro de si mesmas algo que não conseguem aplicar na verbalidade, mas que ganham vida nas palavras do autor... 



12 Meses de Poe: O retrato oval

| 27 dezembro 2016 | 8 Comentários |
Me despeço do Desafio 12 Meses de Poe em grande estilo, trazendo a vocês minhas impressões de leitura acerca de O retrato oval, escrito no ano de 1842... O conto seria uma reflexão sobre o amor, a arte e a loucura...

O enredo fala de um homem ferido que acaba por pernoitar num castelo abandonado. O local, apesar de deserto, estava bem decorado,  cheio de tapeçarias e retratos que ornavam suas paredes. Prestes a dormir, o homem encontra um livro que faz uma descrição das obras que decoravam o castelo. Curioso, o narrador lê o livro, e - a fim de iluminar melhor o ambiente para a leitura, projeta seu candelabro para um ângulo que revela um curioso retrato oval na parede, de uma mulher de aparência misteriosa... Intrigado com aquela pintura, ele lê sobre ela no livro que encontrou e descobre que ela foi casada com um pintor, apaixonado [para não dizer obcecado] pelo que fazia. A contragosto, ela posa para seu amado, tendo que subir uma alta torre para que o retrato ganhasse vida'... 

A mulher passava longas horas naquele lugar e logo foi definhando, enquanto seu marido exultava vendo a pintura tomar forma... enquanto sua mente se deformava a cada pincelada, sucumbe à loucura e não percebe a tempo o que acontece com sua mulher...


Trata-se de uma história curta mas de teor extremamente aterrador... A medida que o leitor vai chegando ao desfecho, a trama vai se revelando cruel e nos deixa consternados com seu fim... Mais uma vez a habilidade de Edgar Allan Poe ao utilizar elementos sombrios e psicológicos para entreter o leitor até a última linha se faz presente... A obsessão é o elemento que conduz toda a história. Pela arte, pelo amor, numa mistura cega que culmina na morte...

Para o natal, uma aventura contada por Dickens...

| 25 dezembro 2016 | 10 Comentários |


Trago a vocês nessa data em específico, uma obra que combina perfeitamente com a época: Uma aventura de natal, escrito por Charles Dickens em 1843. Ebenezer Scrooge é um homem de negócios que perdeu seu sócio há algum tempo e vê o natal como um verdadeiro desperdício de dinheiro. Sua rabugice é motivo de piadas em toda a Londres, e vive apenas de contar suas moedas, sem aparentemente se apegar a ninguém...

Durante o natal, recebe a visita de Marley, seu sócio morto. Essa aparição vai mudar para sempre o destino de Scrooge, bem como a forma de enxergar o mundo, após as experiências fantasmagóricas que ele passa a vivenciar...

Ambientado numa Inglaterra Vitoriana, o romance de Dickens detecta os males de uma sociedade fria e apática. A figura do protagonista simboliza o auge da recente Revolução Industrial, critica o capitalismo selvagem e a exploração do trabalhador. O elemento que sinaliza o oposto da frieza capitalista é o sentimento de compaixão que se desvela ao longo da história...

Existem várias adaptações da obra para o cinema, teatro e até mesmo histórias em quadrinhos. O personagem Tio Patinhas foi claramente inspirado no protagonista Ebenezer Scrooge. A popularidade das adaptações se sobrepõe inclusive ao clássico que lhes deu origem.

A opinião de muitos é que as ações descritas na  trama traçam bem o panorama do que acontece no Natal... Numa época em que valores como empatia, solidariedade e união familiar perdem seu lugar para o consumismo, horas extras e o típico 'viver de aparências' nas redes sociais, creio que esta afirmação não se encontra muito distante da realidade, e certamente faz muito sentido...

Um clássico para todas as idades e momentos, mas que no período natalino, pode ter a mágica de potencializar nossas habituais reflexões acerca da  sociedade doente  em que vivemos...


A Poesia reunida de Paula Tavares em "Amargos como os frutos"

| 23 dezembro 2016 | 5 Comentários |
A poesia de Paula Tavares compilada em Amargos como os frutos possui certo misticismo, inserindo o leitor nas terras longínquas do continente africano. Uma das grandes vozes femininas de seu país na literatura/poesia nos presenteia com versos minimalistas repletos de metáforas que fazem alusão aos costumes de sua nação, enaltece o panorama das paisagens africanas além de  servir como crítica social ao machismo imposto às mulheres. 

Gritos, dores, suor do trabalho, valorização da terra, tradições, o moderno. Tudo se mescla de maneira poética em seus versos. Não falta lírica à obra de Paula. Encontramos elementos naturais, como água, terra, árvores, frutos, sol, dunas e desertos em perfeita consonância com elementos culturais e sociais, tais como escarificação, mitos e religiosidade, histórias e estórias, ritos, pobreza, fome, sexualidade feminina reprimidas, sacralidade religiosa em rituais de iniciação da mulher. Em paradoxo, há também alguma exaltação no erotismo  de suas essências, simbolismos com a menstruação e origens. 

Falando em simbolismos, importante frisar a importância do barro na cultura angolana. Mulher - Barro - Moldar significam a construção por mãos femininas, que servem para contar fragmentos de suas origens a partir do barro. 

De um título a outro, nota-se a transição de períodos em que tais obras foram escritas. Paula retrata desde antes da guerra ao momento pós-independência... Seus versos espelham o sonho-guerra dos anos ali vividos... Desde as tatuagens as cicatrizes na pele dos que ali viram seus sonhos serem transformados em estilhaços de desesperança... 








"Meu coração é um lago por onde deslizou a vida, sem flores, sem nenúfares."


"Os sonhos são desertos com navios encalhados."

Mestre Gil de Ham - J. R. R.Tolkien

| 22 dezembro 2016 | 6 Comentários |
 

Finalizei mais uma leitura da Maratona de Natal que me propus participar. Mestre Gil de Ham foi escrito com o propósito de entreter os filhos de Tolkien, mas ele acabou dando um ar mais sofisticado ao que inicialmente começou de maneira simples, tornando-o uma trama divertida e com elementos que certamente agradam a leitores que prezam por uma boa aventura... 

Ambientada num passado distante, o livro fala sobre a história de um fazendeiro que acaba caindo nas graças do povo onde vivia porque enfrentou um dragão, com a ajuda de sua égua cinzenta e do cachorro falante Garm. Sem a típica pose de herói que comumente nos deparamos em aventuras de capa-e-espada, e munido da espada Caudimordax, ele consegue uma grande fortuna. Mas como se deu esse intento só lendo para descobrir... Até alcançar a prosperidade, ele percorre um difícil caminho,tendo que lidar com alguns perigos, mas sem perder o espírito bonachão.

O livro [edição da WMF Martins Fontes] conta com ilustrações de Alan Lee, foi publicado pela primeira vez em 1949. Trata-se de um livro infantil mas que contempla perfeitamente o público adulto, pela singeleza da narrativa e escrita fluída e atrativa de J. R. R. Tolkien. 

Interessante notar na figura do simples fazendeiro um ar característico da personalidade de outros personagens criados pelo autor. Gosta de comida, tem diálogos 'raivosos' com sua esposa, seu cão e até com o dragão que irá enfrentar, Chrysophylax. Quando um Gigante invade seus domínios trazendo caos a sua pacata ordem, Mestre Gil se transforma. Mesmo sem querer, sua vida acaba sendo conduzida a caçadas heroicas em busca de seres mágicos, que aterrorizam o reino onde vive... 

Não se trata de um primor mas cumpre bem seu papel de diversão que os leitores buscam em livros do gênero... 


#LendoSandman - Entes Queridos [10º arco]

| 21 dezembro 2016 | 10 Comentários |

Retomando às postagens do Projeto #LendoSandman, trago a vocês  minhas impressões sobre o penúltimo arco do quadrinho, intitulado Entes Queridos. Minha motivação no projeto deu uma esfriada, devido a morte de um amigo em fins de julho... leituras que estava fazendo no período não fluíam, então resolvi dar uma pausa nessa edição...

Entes queridos compreende as edições 57 a 69 de Sandman. Estamos chegando na reta final, e lendo o quadrinho, sentimos o desfecho se aproximando por conta de alguns acontecimentos e mudanças na história... Mudança seria um termo adequado e que permeia boa parte do arco...Temos a aparição de vários personagens que surgiram anteriormente, como os irmãos Lady Nuala e Cluracan, bem como Coríntio. As Fúrias ressurgem e Morpheus é o principal alvo dessa vez... 

Hippolyta e  seu bebê Daniel também dão o ar de sua graça... uma tragédia acontece e a pobre mãe se desespera, atribuindo sua desgraça ao moldador de sonhos, então ela parte em busca das Fúrias buscando vingança. Há aparições de alguns dos Perpétuos, como Destino, Delírio e Morte... As três mulheres punem aqueles que derramaram sangue de parentes... Eis o motivo pelo qual Morpheus se encontra na mira delas... Ele sabe que o fim se aproxima, e o encontro com sua irmã Morte é inevitável... À medida que nos aprofundamos na leitura, notamos como o próprio Morpheus arquitetou sua tragédia... Uma de suas características marcantes é de se anular/sabotar [identificação total aqui]... é como se - desde o princípio - ele tivesse escrito seu próprio final... mas  não um fim completo... eis aqui o cíclico tomando forma...  o fim que anuncia um retorno, moldado numa faceta diferente, mas presente ali...



Rose Walker vai visitar o lugar onde sua avó passou grande parte da 'vida' 'dormindo'. Ela busca respostas, embora não saiba exatamente para quais perguntas... Ela se envolve com uma pessoa e isso tem consequências futuras... A vida surge a partir da morte...

Vingança, cíclico, mudanças e buscas são palavras-chave de Entes Queridos... Por ser o maior arco, pode parecer confuso fazer a leitura depois de algum tempo, pois ele vem pra fechar as pontas que se encontravam em aberto ao longo da história... As mini-tramas se mesclam no decorrer de 360 páginas... Atitudes que mudariam toda a base da série foram tomadas aqui. 

Encontrei duas referências interessantes: maçãs e a  tentação do Éden, o fruto proibido... Gaiman sempre insere algum elemento bíblico em suas histórias... E o título IT, de Stephen King, numa das cenas em que Rose se encontra com a avó, no quarto onde Morpheus ficou preso... Esse livro estava sendo lido por um dos carcerários, lá no início de Sandman...

Em suma, Entes queridos vem para concluir pequenas tramas, é um dos arcos primordiais da série e certamente vai abalar  algumas estruturas... Em breve postarei o último post do desafio, o arco final intitulado Despertar [70 a 75] ...


12 Meses de Poe: Ligeia

| 18 dezembro 2016 | 11 Comentários |
Ligeia foi publicado no ano de 1838, e é o penúltimo conto do Desafio 12 meses de Poe... Pena estar chegando ao fim, mas sinto que fui bem nas leituras e releituras ao longo desses meses... 
A história de Ligeia é contada por seu esposo, nosso narrador... Ele narra em detalhes sobre a beleza extrema de sua amada, mas não recorda em que momento se apaixonou por ela... Engraçado ele lembrar de detalhes físicos da amada mas não lembrar nada de sua origem...

Passado um tempo, Ligeia adoece e morre. Antes, pede que seu marido leia um poema que narra sua tragédia de vida, escrito por ela  mesma... Após a morte de sua esposa, o narrador se encontra devastado e parte para a Inglaterra, e lá ele casa com uma mulher chamada Lady Rowena...

Assim como Ligeia, Lady Rowena demonstra ter uma saúde frágil e chega quase a morrer... Embora se recupere, revela ao leitor e narrador que possui uma sensibilidade enorme a sons e medo das tapeçarias que decoram seu lar, como se elas tivessem vida... Por sua vez, o narrador se entrega aos vícios do ópio e nada mais parece fazer sentido em sua vida... Ele confunde o torpor com a realidade...




Há certo misticismo na figura de Ligeia, enquanto Lady Rowena carrega traços de racionalidade... O narrador vê a morte de sua segunda esposa e encontra nela um possível 'retorno' da figura de sua primeira amada... As descrições são minuciosas e deixam o leitor preso às amarras de sua narrativa... Poe como poucos de sua geração conseguem esse intento...



"Para quem entrasse no quarto, assumiam a aparência de simples monstruosidades; contudo, avançando-se um pouco mais, esta aparência desvanecia-se gradualmente."






Christmas Reading Party [Maratona de Natal]

| 17 dezembro 2016 | 8 Comentários |



Olá, pessoal.A fim de dar um up nas leituras [ou tentar, pelo menos],resolvi participar de uma Maratona literária de Natal. Descobri a Christmas Reading Party através do Canal Despindo Estórias, de Tailany Costa. A organização está sendo feita por cinco canais portugueses... 
Seguem os links abaixo:


Quem quiser saber mais detalhes sobre a Maratona,que se inicia hoje e vai até o dia 31 de dezembro, pode participar do grupo no Facebook

Minha TBR, de acordo com os desafios:



  • Um livro que te  transmita conforto. 
Escolhi A ilha misteriosa, de Julio Verne.
  •  Ler um livro do seu gênero favorito. 
Escolhi um dos gêneros, pois tenho vários... [Poesia] Amargos como os frutos, de Paula Tavares.
  • Um livro que te lembre o natal. 
Um conto de natal, Charles Dickens.

  •  Ler um livro que lembre a infância. 
As minas do Rei Salomão - Henry Rider Haggard.

  •  Um livro que você ganhou de presente. 
Mestre Gil de Ham, de J.R.R. Tolkien.



Como perceberam, escolhi leituras leves e curtas... tenho algumas leituras de parceria pra dar conta e não quero exagerar... 
Espero que tenham curtido, e se forem participar, me contem nos comentários ;)

Minha inserção na poesia grega contemporânea: 60 poemas, de Konstantinos Kaváfis

| 16 dezembro 2016 | 11 Comentários |
O que conheço da literatura grega são algumas peças de teatro, tragédias e comédias, bem como obras de alguns pensadores/filósofos clássicos da Antiguidade... Recentemente, adentrei o universo da poesia grega escrita por Konstantinos Kaváfis, poeta nascido em 1863. O livro 60 poemas, selecionados e traduzidos por Trajano Vieira, foi uma bela surpresa digna de algumas horas de contemplação numa linda edição bilíngue publicada pelo Ateliê Editorial...

Kaváfis nos apresenta personagens 'outsiders', marginais que se encontram deslocados no lugar-comum. Surge em primeiro plano a busca pelas suas identidades, já que permanecem perdidos num mar de multiculturalidade. Sua poesia tem um quê de fantasmagórica e exótico - esse último simbolizado em seus personagens. Os cenários evocam o período clássico, ainda que em momento tardio. As figuras aqui esquecidas não passam de assombros de seu tempo, que nos visitam cobrando sua devida importância na história. 

Trata-se de um movimento cíclico de 'vir a tona e esquecimento', amparados por tons melancólicos durante suas tentativas de conseguir um 'lugar ao sol'. Entre alguns deles, nos deparamos com um perfumista morto antes de realizar seu sonho, um rapaz ambicioso da efígie da moeda, um efebo astuto que desdenha a derrota sofrida na corrida de carruagens, entre outros...

Um fator peculiar presente em todos os protagonistas da poesia de Kaváfis é a indiferença que demonstram ao falharem em seus objetivos. Tal desdem deve provir de traços aristocratas decadentes que as figuras - sem forçar - demonstram ter, mesmo diante da morte. São munidos ainda de cinismo, enfado, sensualismo e melancolia, compondo um retrato fascinante na construção de suas personalidades...

"A mesmice mensal do mês.
Presumir o porvir não requer talento:
o torpor engravida a véspera,
E, vazio de amanhã, amanhece."
Tediário

"Não me retive. Abri-me inteiro e fui.
À voluptuosidade, real às vezes,
concretizada Às vezes em meu cérebro,
fui, no luzidio pleno de uma noite.
Goles de vinho encorpados,como sói ser
com quem desteme o prazeroso."
Fui.

Resposta de Enquete e resultado das leituras de Halloween...

| 15 dezembro 2016 | 5 Comentários |
No começo de abril eu lancei uma enquete aqui no blog sobre a morte de um dos personagens de The Walking Dead, e todo o mistério que envolveu a descoberta de tal personagem, morto pelo vilão Negan, nessa última temporada... Algumas pessoas votaram e acertaram seus palpites... 










Atenção para Spoiler. Se não quiser saber, pare de ler o post por aqui...


Muitos votaram e esqueceram de comentar, então não teria como adivinhar quais votaram nos personagens corretos...  Então contabilizei e fiz o sorteio apenas entre Kris Monneska do Conversas de Alcova e Débora, do Lisossomos. Ambas apostaram em Glenn, e de fato, ele foi a  segunda  vítima do episódio... Ao todo, foram 8 pessoas que apostaram na morte do coreano, e 3 apostaram em Abraham. Se tivessem se identificado no post, estariam concorrendo... 

Kris - 1
Débora - 2

O resultado foi:


Parabéns, Kris... Logo você receberá seu prêmio... ^^ 





Sobre as leituras que pretendia fazer no mês do Halloween, não tive êxito. Mas em outubro acabei tirando umas férias, aproveitando um feriado, viajei... ficava difícil me  concentrar em leituras...

Dos projetos de filmes, só consegui concluir com sucesso o de assistir filmes de José Mojica [O Zé  do Caixão], e com relação aos livros, só li 3/8 HAHAHA desastre total.

O orfanato da Srta. Peregrine para crianças Peculiares
A hora do lobisomem 
O massacre da serra elétrica


Então é isso... Acabei demorando um pouco pra soltar esse post, ando procrastinando legal... [teclado com defeito me desestimulando, semanas finais na escola, antes de  entrar de férias... enfim...]

Beijos e até mais...

[Retro]spectiva 2016

| 13 dezembro 2016 | 8 Comentários |
2016 foi um ano conturbado, tanto na vida pessoal como política/social... Através deste post vim relatar os fatos mais memoráveis a  vocês, que acompanham meus posts sempre que possível... 


Logo no princípio do ano me deparo com a noticia que o blog havia conseguido parceria com 4 editoras: Hyria, Novo Conceito, Hedra e Companhia das Letras... Aos poucos meu blog foi tomando maiores proporções e acredito que devo aos leitores muito do que conquistei. E aproveito essa postagem para agradecer às editoras pela confiança depositada em meu trabalho por aqui... 


Fui ao cinema com o marido pra assistir DeadPool, Capitão América: Guerra Civil e Batman vs Superman. Fechei parceria com os autores Alexandre Apolca e Zeka Sixx. Comprei uma estante que estava praticamente no lixo e dei uma ajeitada nela... Hoje, ela está cheia de livros, e com cara de nova... Deu outro ar ao quarto... 


a estante mais 'nerd'

Minho e eu demos um passo importante esse ano: compramos um terreno pra construir nossa casa, espero que em breve... Pela primeira vez em muitos anos, colocamos um alicerce mais sólido ao nosso relacionamento... algo que visa um futuro juntos no nosso cantinho... Apesar de ter aumentado as contas a pagar, o investimento foi mais do que importante e necessário... Agora só resta trabalhar e trabalhar hehehe... nada como conseguir as coisas através do nosso esforço e empenho... é gratificante... 

Dominic

Participei de um projeto de leitura para ler o quadrinho Sandman, de Neil Gaiman. Além dele, participei do Projeto 12 meses de Poe e da Maratona Literária de Inverno 2016, além de alguns projetos literários de cunho pessoal, no qual não obtive tanto sucesso... Mas ao menos me senti aliviada de ter desencalhado alguns títulos há muito esquecidos no Acervo... Fui a alguns eventos literários em Recife, como o Fanáticos Rocco, Turnê Intrínseca, o evento de lançamento do livro Pequeno Dicionário de grandes personagens históricos  [autoria de dois professores meus do curso de História, José Maria Neto e Kalina Vanderlei], entre outros... 

Essa  mulher é diva demais,uma grande inspiração [Kalina Vanderlei ]

Em abril, conheci a pessoa que veio a se tornar uma das pessoas mais importantes da minha vida: a autora parceira Lilian Farias. Compareci ao lançamento do seu livro Mulheres que não sabem chorar, pela Giz Editorial. A partir daí, a amizade se fortaleceu ainda mais, a ponto de me fazer viajar para Aracaju no mês seguinte, de carona com um amigo que conheci no mesmo dia que Lilian e Magali Polida. Nessa viagem, acabei conhecendo o litoral sul do nordeste, e acreditem - foi uma das experiências mais tocantes de minha vida... Me senti grata por encontrar pessoas tão maravilhosas e gentis... 

Lilian Farias


Esquilo, Magali e eu numa road trip...

praia de Maragogi/AL

Nesse ano também acabei dando vida a outro projeto: nasce  o canal Torpor Niilista. Apesar de não gravar com frequência, o primeiro passo foi dado. Grata a Tailany Costa pela ajuda pra  dar o pontapé inicial... Dei uma pausa na Roda de Leitura que organizava aqui na cidade, mas espero que futuramente eu possa retornar com mais afinco...


Fui a duas festas de 15 anos, de duas alunas minhas: Jennifer e Paloma. Não tenho o hábito de participar desse tipo de festa, então foi novidade pra mim, e até que me diverti nelas... Completei minha coleção do mangá Yuyu Hakusho. 

Paloma e seus 15 anos...

Visitei museus, exposições, um parque aquático e um parque de diversões. Alguns como viagem da escola, outros turistando mesmo... Dentre os museus visitados: Museu Egípcio Itinerante, Museu do Homem do Nordeste e Cais do Sertão [Recife-PE], Museu da Gente Sergipana. Exposições visitadas: Êxodos, de Sebastião Salgado, Ozi - 30 anos de Arte urbana e  A arte da Animação pernambucana.

Expo Ozi Arte Urbana


Em julho, recebi uma triste notícia: um amigo dos tempos de faculdade havia falecido. Tínhamos conversado um dia antes, tudo parecia indo bem, mas infelizmente ele não resistiu a uma parada cardíaca e morreu, aos 29 anos [um dia depois de seu aniversário]... A partir daí, confesso que meu ritmo de leituras ficou mais lento, os meses foram passando e até agora não consegui me recuperar da perda... E quis o destino que - além de Renato - eu perdesse também, em fins de novembro, uma parceira do blog Dose Literária, Jéssica Gomes. É a segunda pessoa da equipe do Dose que morre num espaço de dois anos... 

Renatinho deixou saudades...

Uma das passagens mais emocionantes de 2016 foi ter conhecido uma sobrevivente dos campos de concentração nazistas, que foi amiga de Anne Frank. Compareci a uma palestra dada por Nanette Blitz Konig, falando sobre o livro que conta suas memórias naquele período tão infeliz da nossa história... Chegar junto de alguém que possui tamanha carga de vivências foi inesquecível, ainda mais para uma historiadora... Certamente não terei outra chance como essa, e sou grata ao cosmos por ter tido essa oportunidade. Ela ainda autografou meu livro e tirou photo... 

Nanette

Depois de 4 anos, reencontrei uma amiga que havia me reconciliado uns meses atrás. Além de revê-la, pude conhecer seu filho, Heitor. Fazer as pazes com Kamila me trouxe grande alívio, maturidade e paz de espírito. E é algo que não pretendo deixar romper novamente... 

Kamila e seu filho Heitor.

Em outubro, aproveitando o mês de férias do meu marido, viajei novamente para Aracaju e ele pôde conhecer Renê e Lilian. Tivemos muitos  momentos agradáveis e ele passou pelo litoral que eu havia percorrido uns meses antes na companhia de Esquilo e Magali. Foram dias cheios de surpresas... O motivo dessa segunda viagem foi para assistir ao Sarau Literário que Lilian organizou junto com seus alunos, no local onde ela trabalhava. O evento foi lindo e emocionante... Passeamos pela orla, fomos à praia, visitamos a feira de artesanato, o mercado central de Aracaju...

Lili,Maga, eu... e a poesia...

Emerson, meu marido


Fiz várias postagens temáticas ao longo do ano, dando destaque à Semana Especial de Halloween. Fechando a retrospectiva com chave de ouro, comemorei meu aniversário hoje jantando fora com meu marido. Fazia tempo que não saíamos juntos assim, curtindo a vibe, só nós dois... Foi incrível e ainda estou entorpecida pelos sabores, olhares, companheirismo que se estende desde quase uma década juntos... 


Ainda faltam uns dias para 2016 nos deixar, mas acredito que o que vivenciei até o presente momento foi o suficiente pra ser relatado por aqui... E que 2017 venha com mais escolhas acertadas, pessoas iluminadas e risos, tão necessários para aplacar a dureza do dia-a-dia... 

Beijos e até a próxima...

p.s: um adendo à postagem... hoje, dia 15/12/2016 fui passear com os irmãos Luiz e Bya [dois amores meus]...Trata-se de comemoração parte II de meu aniversário...

Bya, Lou e eu...

~ Bufólicas

| 10 dezembro 2016 | 6 Comentários |
Hilda Hilst revisita sete personagens dos contos de fadas dando voz poética e satírica às suas personalidades, numa espécie de desafio ao conservador e ortodoxo. Todos os personagens possuem anomalias físicas sexuais e comportamentos 'luxuriosos'. Chapeuzinho Vermelho é cafetina do Lobo, sodomizado pela vovó; Devido a um desentendimento de Deus, o anão perde seu falo gigante... Uma fada nasce lésbica, vira homem, para posteriormente ser raptada como uma donzela, deixando seus amantes desnorteados... 

"Sai bruaca
Da tua toca imunda! (dizia-lhe a neta)
Aí vem Lobão!
Prepara-lhe confeitos
Carnes, esqueletos
Pois bem sabes
Que a bichona peluda
É o nosso ganha-pão."

A princípio, os versos podem soar como absurdos, mas no fundo trazem nas entrelinhas uma política atrelada ao humor. Bufólicas foi publicado em 1992 e faz parte de uma série polêmica da obra de Hilst. Seria o quarto volume da Trilogia obscena, formada por O caderno rosa de Lori Lamby, Contos d' escárnio/Textos grotescos e Cartas de um sedutor, publicados entre os anos de 1990 e 1991.

"Ando cansado
de exibir meu mastruço
Pra quem nem é russo.
E quero sem demora
Um buraco negro
Pra raspar meu ganso.
Quero um cu cabeludo!
E foi assim
Que o reino inteiro
Sucumbiu de susto."



Nota-se uma dicção própria de contos de fada na composição dos versos. A obra-paródia é crua, um escárnio da moral reta, com tons de hilaridade. Hilda se mostra atrevida e desimpedida, como a boa poeta que foi em vida...

Bufólicas é um título da Editora Globo, que detém os direitos de publicação de suas obras... Em poucas páginas mostra a genialidade de Hilda, um dos grandes nomes da literatura e poesia brasileira do século XX...


Compras e Recebidos [Novembro/2016]

| 08 dezembro 2016 | 4 Comentários |
E vamos a mais uma caixa de correio aqui do blog. Em novembro recebi muita coisa bacana e chegou o momento de mostrar a vocês que coisas são essas... 

Recebi em parceria com a Editora Companhia das Letras o Livro sobre Nada, de Manoel de Barros... Esse lançamento foi resenhado aqui...


Fechei parceria com o autor Zeka Sixx e recebi A era de Ouro do Pornô... Já foi lido e resenhado, confira aqui...


A visita costumeira ao Sebo do Dedê me rendeu umas trocas... Eis os títulos... 

  • Poesias completas - Mário de Andrade
  • A rosa do povo - Carlos Drummond de Andrade
  • Uma aventura de natal - Charles Dickens
  • As melhores histórias de Sherlock Holmes - Arthur Conan Doyle



A Feira Japonesa do Recife continua no mesmo ritmo fraco dos últimos anos... Ando desanimada até pra comprar mangás... mas acabei adquirindo três para completar meu acervo: duas edições de Neon Genesis Evangelion [números 27e 28] e o Mangá of the Dead. De quebra, ainda comprei uma necessaire de tecido com estampa de morcegos pela loja Onfire, que montou estande no evento...


O único livro que comprei durante o mês foi O lado sombrio dos contos de fadas... Ainda não li, mas pretendo encaixar em minhas próximas leituras, pois a temática muito me interessa...


Além do livro, trouxe dois DVD´s para a DVDteca... Inside Nirvana e o filme Catacombs...


Não é livro, mas é presente... então tá valendo mostrar aqui... Ganhei de presente de aniversário [bem adiantado] de minha irmã uma caixa de sabonetes da Natura Ekos... 


Recebi carta de minha amiga Mara Vanessa, do Dose Literária...



Por último chegou o prêmio que ganhei na promoção All Hallow's Read, organizado pela Raquel do Pipoca Musical. Trata-se da HQ Aokigahara, eviram também marcador de livro, postal e jornais com o catálogo de zines da loja que me enviou o prêmio... 


Mal entramos em dezembro e já tem bastante coisa pra mostrar, mas isso fica para a próxima postagem dessa coluna... Até a próxima, queridos... Beijos...


As [des]aventuras de um anti-herói oitentista n'A era de Ouro do Pornô [+18]

| 04 dezembro 2016 | 16 Comentários |

Vinha flertando com A era de ouro do Pornô desde que vi o curioso título no Skoob outro dia... Eis que recentemente Zeka Sixx fecha parceria comigo e em poucos dias tenho meu exemplar em mãos, passando a frente de outras leituras... O que encontrei em suas pouco mais de cem páginas foi uma deliciosa narrativa sobre as aventuras sexuais de um aspirante a escritor sem perspectiva de publicar seu livro por conta de um bloqueio criativo, embalada por uma trilha sonora daquelas que nos pegam de jeito...

Vendo algumas opiniões sobre o livro pela blogosfera, e a estranheza que o livro lhes causou, acreditei que era uma leitura certa pra mim... A velha mania de ir na contramão literária sempre me causa belas surpresas... O que pode soar bizarro pra uns, me soa intrigante ao extremo para mim... 

Max California narra suas aventuras nas noites porto-alegrenses em busca de uma boa refeição - insira aqui um duplo sentido - . Nas festas de casamento, eventos, shows e afins em que entra de penetra, seu membro está sempre caçando a vagina que vai lhe render o gozo sagrado da noite... Nessas caçadas, Max se revela um sedutor sem muitas preferências, o velho 'se cair na rede é peixe' se aplica bem a ele... Claro que alguns desses encontros soam hilários devido a algumas peculiaridades ocorridas neles, e confesso que ri bastante na maioria delas... Não apenas com a cena descrita em si, mas visualizando leitoras mais 'puritanas' ao lê-las...

Max viveu algum tempo nos Estados Unidos, sofreu decepções afetivas, teve uma infância marcada pela tragédia, viu seu pai consumir-se em álcool. De volta ao Brasil, arranja algum dinheiro [que dá para a bebida e  putas] traduzindo textos em inglês... Max é cara de pau, sabe - na maioria das vezes - se livrar de alguma enrascada e é do tipo que tenta aproveitar o que as situações têm de bom a lhe oferecer, mesmo que à primeira vista pareçam um desastre iminente. Ele é fã dos anos 80 [rolou uma super identificação aqui além do fato do personagem ser sagitariano], volta e meia faz alguma crítica mordaz e se revela ao leitor nu e cru, puramente visceral... A linguagem em primeira pessoa revela a natureza rude e underground do protagonista, e esse foi um dos pontos que me cativou demais na história...

Se você é do tipo de leitor[a] que espera uma história estilo 'hot', dessas que se multiplicam como coelhos na literatura atual, esse livro pode não ser o você almeja. Mas se você curte a escatologia de um Pedro Juán Gutierrez, mesclada a acidez bukowskiana, eis aqui uma leitura surpreendente. Nada é romanceado aqui. O próprio título é uma espécie de ode ao pornô clássico, memorável, que imortalizou personagens quando o gênero se encontrava no auge... 

Por último, mas não menos importante: Zeka Sixx faz inúmeras referências ao longo da história, que vão do clássico Scarface ao Trópico de Câncer do aclamado Henry Miller... A trilha sonora, como falei mais acima, é fantástica... tem até lista no Spotify... Recomendo a leitura embalada ao som dela. e garanto: a experiência combinada é deliciosamente excitante... 

Zeka, 'Encontrei nesta obra o que amo, e deixo que aos poucos me mate.'  ^.~



Ps.: Devido ao conteúdo sexualmente explícito, digno de alguma cena de Trainspotting, o livro não é recomendado para menores... Beijos...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...