† ...Playlist do Horror... †

| 31 outubro 2016 | 19 Comentários |
Quem aqui não gosta de uma boa música? Filmes de terror sempre tem aquela trilha soturna, barulhenta, turbulenta.. de acordo com a cena que está rolando no momento... Pensando nisso, resolvi trazer algumas músicas de filmes de terror que se tornaram marca registrada das franquias... Vamos lá?


Quem já assistiu Cemitério Maldito, baseado no livro de Stephen King certamente vai lembrar do toque ao dar o Play... Pet Sematary é da banda punk Ramones. Pertence ao álbum Brain Drain, lançado em 1989.

"I don't want to be buried in a pet cemetery
I don't want to live my life again
I don't want to be buried in a pet cemetery
I don't want to live my life again..."
"Eu não quero ser enterrado em um cemitério de animais.
Eu não quero voltar à vida outra vez..."





Outra música bem conhecida dos filmes de terror é Hellraiser, da franquia de mesmo nome, baseada na obra de Clive Barker [publicada pela DarkSide Books aqui no Brasil ano passado]... Escrita por Ozzy Osbourne, Lemmy Kilmister e Zack Wylde. Ela se encontra no álbum No more Tears de Ozzy [1991] e no March or Die do Motorhead [1992].




"Hellraiser, in the thunder and heat
Hellraiser, rock you back in your seat
Hellraiser, and I'll make it come true
Hellraiser, I'll put a spell on you"


"Renascido do inferno, no trovão e no calor
Renascido do inferno, balance para trás sua cadeira
Renascido do inferno, e eu farei isto se tornar realidade
Renascido do inferno, vou colocar um feitiço em você."




O filme A noite dos mortos vivos de George Romero inspirou a música Night of the Living dead, da banda punk Misfits. O livro também já foi lançado pela Darkside...






"Only ones, lonely ones
Ripped up like shredded wheat
Only ones, lonely ones
Be a sort of human picnic" 

"Únicas, sozinhas
Bêbadas como trigo desfibrado
Únicas, sozinhas
Ser uma espécie de picnic humano"




A música Bela Lugosi's Dead, da banda gótica Bauhaus faz referência/trocadilho ao ator Bela Lugosi, que deu 'vida' ao personagem Dracula na película homônima de 1931, do diretor Tod Browning. Lugosi foi imortalizado na figurado conde morto [undead], daí o trocadilho... 





"The bats have left the bell tower
The victims have been bled red velvet lines the black box
Bela lugosi's dead"

"Os morcegos deixaram a torre do sino
As vítimas foram sangradas, veludo vermelho bordeia o caixão negro
Bela Lugosi está morto"

E com esta postagem encerro a Semana Especial de Halloween 2016... Espero que tenham curtido as postagens ao longo da semana... Não esqueça de tocar a Playlist... 
Beijos e até próxima...



† Livros de horror com adaptações cinematográficas... †

| 30 outubro 2016 | 8 Comentários |
Semana Especial de Halloween 2016 já está chegando ao fim e deixando aquele ar de saudades... Mas sempre haverão outros anos, e claro que vou continuar trazendo postagens que possam ser interessantes a vocês... é um deleite olhar minha estante, planejar, criar algo que seja um diferencial no conteúdo do blog... Espero ter agradado a alguém durante essa semana... 

Sem mais enrolação, trago uma lista de livros que viraram adaptação para o cinema. Um mais medonho e terrorífico que o outro, e certamente vocês já devem ter lido/visto ou ouvido falar de algun[s] deles... Bom frisar que não faço por ordem de preferência, impossível escolher o melhor...




A lenda do Cavaleiro sem cabeça já deu o ar de sua [des]graça por aqui. Escrito por Washington Irving entre 1819-1820. É um conto curto que fala de um cavaleiro que aparece em um vilarejo do condado de Nova York. Um forasteiro chamado Icabode Crane logo vai se deparar com a lenda que assombra o lugar...


A profecia, de David Seltzer também já foi resenhado aqui, e fala da criança que nasce com a marca 666, o número da besta. Seu nascimento foi previsto há exatos 2000 anos. Sua força maléfica se manifesta desde os poucos anos, parecendo atingir todos ao seu redor...


Henry James é conhecido por seu clássico A volta do Parafuso, obra que inspirou filmes como Os outros e Os inocentes. Se os filmes me deram arrepios, imaginem o que a leitura desse livro fez com o meu psicológico... Tem resenha dele aqui, para mais detalhes, visite o link...

Os Inocentes [1961]


A Editora Darkside Books lançou recentemente o livro Amityville, mas para os verdadeiros fãs do horror, esse título não passa despercebido. Foi publicado aqui no Brasil décadas atrás e estou curiosa pra conferir a nova roupagem, numa belíssima edição que a Caveirinha nos trouxe. Fala sobre a familia Lutz, que após 28 dias morando na 112 da Ocean Avenue, em Long Island, deixam a casa recém comprada com todos os seus pertences, expulsos por forças malignas que estavam causando transtornos ao casal e três crianças [além do cachorro]. A casa havia sido palco de um assassinato brutal um ano antes, quando Ronnie Defeo matou os pais e 4 irmãos com tiros de rifle, enquanto eles dormiam... Por muitos anos a história dos Lutz se sustentou como verídica... 

The Amityville Horror [1979]

E falando em Darkside, tenho algumas obras no Acervo que também viraram filmes... Psicose de Alfred Hitchcock é baseado no livro homônimo, escrito por Robert Bloch. Norman Bates é um solitário que vive com a mãe num hotel de beira de estrada, mas algo parece perturbar o rapaz... e pode não ser uma boa ideia cruzar seu caminho...

Psycho [1960]


A noite dos mortos vivos e A volta dos mortos vivos, de John Russo são o caminho inverso. As histórias se baseiam nos filmes de George Romero, considerados marcos iniciais em histórias de zumbis e afins... O gênero se popularizou graças às películas de Russo, é uma obra pra fã nenhum ficar em falta na estante...

Night of the Living Dead [1968]


Clive Barker teve seu romance adaptado e publicado pela Darkside em 2015. Hellraiser tem uma franquia de filmes trazendo o vilão Pinhead, líder dos Cenobitas, seita que vive em função do prazer extremo, aprisionados dentro do cubo de Lemarchand. Quem desativa o quebra-cabeças abre as portas que podem levar o indivíduo para outro universo, mas poucos estão dispostos a encarar esses prazeres... Frank abriu a caixa, Frank ainda paga o preço...

Hellraiser [1987]

Peter Benchley é autor de Tubarão, que ganhou sua versão em filme algum tempo depois... Ainda não fiz a releitura da obra, e pretendo fazê-lo a fim de resenhar aqui no blog... Imaginem ataques de tubarão ocorrendo em uma área de devaneio e turistas sendo atacados? E autoridades abafando o caso para não prejudicar o turismo do local? Eis a premissa dessa obra. Uma leitura imperdível e fora do usual...


O Exorcista foi um filme que me assombrou por anos... Até hoje  ele me dá arrepios. O livro em que o filme foi baseado foi uma leitura perturbadora e cheia de diálogos mordazes por parte de Reagan possuída... É outro livro que quero reler e resenhar... William Peter Blatty se baseou num caso real de exorcismo para escrever sua trama... A obra em que foi baseada - inclusive - também foi publicada pela Darkside... Gostaria de uma edição de O exorcista pela editora... Seria um sonho...


Por fim, mas não menos importante... Dracula, de Bram Stoker. Um romance epistolar que imortalizou o mito do Vampiro, figura amedrontadora que suga o sangue de suas vítimas e dorme num caixão. Deu origem a uma várias adaptações, mas por incrível que pareça a figura de Dracula que conhecemos nos filmes é ligeiramente diferente no livro... Mas  não irei expor tais diferenças a fim de não tirar o elemento surpresa dos leitores... É um romance espetacular, rico em descrições... 

Bela Lugosi no papel de Dracula [1931]

Bem, me contem nos comentários quais desses livros têm vontade de ler ou os que já leram... Vou adorar saber a opinião de vocês... Beijos nefastos a todos...


† Brasil e sua Poesia do Horror...†

| 29 outubro 2016 | 8 Comentários |
A literatura gótica e de horror é bem representada por nomes como Edgar Allan Poe, Emily Brontë e Charles Baudelaire. No Brasil, temos uma representação de peso com as obras de Álvares de Azevedo, Augusto dos Anjos e a própria Clarice Lispector, autora do conto A imitação da rosa, considerado de horror por seu desfecho trágico...


Álvares de Azevedo imortalizou-se na literatura com suas obras Noite na Taverna, Macário e Lira dos Vinte anos. Teve uma vida curta, o ultraromântico... Sua literatura bebe da  fonte de Lord Byron, poeta inglês... A morbidez e  os temas tratados em suas histórias  lhe garantem um lugar nessa postagem... Para mais detalhes, leia a resenha de Noite na Taverna que eu postei aqui...




A narrativa de Clarice Lispector em A imitação da rosa é densa e carregada de devaneios da protagonista, internada numa clínica, e que alterna seus diálogos consigo mesma entre a loucura e a razão... Este conto encontra-se presente no livro Laços de  Família, publicado em 1960... Você pode encontrá-lo aqui... Não se trata de  uma poesia, e sim um conto, mas achei válido falar a respeito por aqui...



Augusto dos Anjos era um poeta que criticava as agruras da condição humana através de seus versos carregados de melancolia... Augusto era um poeta que adentrava o vil do Homem, denotava nos poemas o quão frágil o indivíduo poderia ser, fazendo alusões a enfermidades que comprovam tal fragilidade... Sua linguagem remetia a morte, a angústia e dores carnais.



“Quando eu pego nas carnes do meu rosto
Pressinto o fim da orgânica batalha:
— Olhos que o húmus necrófago estraçalha,
Diafragmas, decompondo-se, ao sol posto...


E o Homem — negro e heteróclito composto
Onde a alva flama psíquica trabalha.
Desagrega-se e deixa na mortalha
O tato, a vista, o ouvido, o olfato e o gosto!

Carne, feixe de mônadas bastardas.
Conquanto em flâmeo fogo efêmero ardas,
A dardejar relampejantes brilhos.

Dói-me ver, muito embora a alma te acenda,
Em tua podridão a herança horrenda 
Que eu tenho de deixar para os meus filhos!”

† Top 5 - O horror de King na literatura e cinema... †

| 28 outubro 2016 | 6 Comentários |
Hoje trago a vocês uma seleção de alguns livros que possuo e que foram adaptados para o cinema, títulos que todo fã que preze da obra de Stephen King já leu, tem ou conhece... Vamos lá?


O primeiro livro que li dele foi O iluminado, numa edição emprestada de um amigo... Posteriormente adquiri uma edição de bolso que pretendo reler, quem sabe ainda esse ano...A história fala de uma família que se muda para um Hotel nas montanhas pois o pai vai trabalhar como zelador, já que o local está fechado por causa do inverno, e ele precisa tomar conta... Mas algo de estranho passa a reger sua personalidade  com o passar dos dias, confinado naquele ambiente... Seu filho tem apenas 5 anos e começa a ter visões de coisas apavorantes que ocorreram entre aqueles corredores do Overlook... O livro tem adaptação e lembro de ter assistido duas, embora a mais conhecida seja com Jack Nicholson no papel de Jack Torrance...


Pouco depois li Carrie, a estranha. Trata-se de uma garota criada por uma mãe extremamente fanática por religião e que trata a filha como se ela fosse uma criatura imunda e cheia de pecados... Carrie não tem amigas e após um incidente no banheiro da escola, em que todas as meninas presentes riem dela, sua reação é assustadora, até para ela mesma, que não compreende o que se passa consigo... Aos 16 anos, Carrie é uma desajustada, e suas tentativas falhas de se moldar aos jovens de sua idade vai se revelar desastrosa e fatal... O filme possui três versões, mas a minha preferida é com Sissy Spacek no papel de Carrie...

A versão de 1976 é a melhor

Outro livro fantástico de King é O cemitério. Li no computador ao longo de uma madrugada inteira, uma de minhas experiências  com leitura mais impactantes que já tive... Não costumo ler pdf's mas fui sugada para a ambientação de  tal forma que quando o dia clareava, me dei conta que tinha devorado a história toda...  

Uma família se muda para uma propriedade com uma rodovia bastante movimentada próxima ao terreno. Eles logo  conhecem a vizinhança e se deparam com um cemitério de animais aos fundos de seu terreno. O vizinho lhe explica como ele surgiu e as crianças de Louis Creed ficam impressionadas... Os dias passam e durante o trabalho, um rapaz morre nas mãos de Louis. Ele passa a ter sonhos com  o morto, que o leva para um local estranho além do 'simitério' de animais... Em contrapartida, Church [o gato da familia] é atropelado, e para evitar que sua filha descubra, Louis faz o impensável...  Posteriormente comprei uma edição em sebo, e pretendo reler também... 


A quarta obra que cito aqui foi resenhada a alguns dias, A hora do lobisomem. No cinema, teve uma adaptação chamada Bala de Prata. Não irei me prolongar na trama mas você pode conferir a resenha neste link. Para quem gosta de histórias alucinantes  com muita morte e desfecho rápido, eis uma boa dica de leitura... 


Por último, mas não menos importante... Possuo a obra no Acervo mas ainda não tive o prazer de ler. Mas o filme foi assistido inúmeras vezes em minha infância... O filme é intitulado Christine, o carro assassino... Christine é uma dama perversa, que não poupa suas vítimas... Christine é um Plymouth 1958. Arnie quer esse carro a todo custo, e quando consegue tê-lo, sua obsessão desencadeia uma personalidade própria no carro, atemorizante  e fatal... 



Então é isso... Espero que tenham curtido esse TOP5 de livros/filmes de Stephen King... Beijos e até o próximo post...













† Nos bastidores da franquia O massacre da Serra Elétrica †

| 27 outubro 2016 | 12 Comentários |

E então, pessoal. Cá estou voltando com mais DarkSide Books para vocês... Hoje estou trazendo a resenha de O massacre da serra elétrica, de Stefan Jaworzyn. A princípio achei que se tratava da novelização desse clássico de horror mas descobri posteriormente que a obra se tratava de um compilado sobre os bastidores da franquia, dando ênfase maior ao primeiro filme, mas que ao longo de suas 320 páginas traz informações de todo material lançado com a assinatura de Leatherface, incluindo a versão cinematográfica em 3D que saiu há poucos anos...


Repleto de imagens sobre os filmes, O massacre faz parte da Coleção Dissecando da editora e divide-se em vários capítulos, que falam sobre o roteiro, depoimentos e entrevistas de quem atuou, comercializou e idealizou as histórias, como se deu o processo comercial da franquia, bem como a recepção do público perante os lançamentos... 

O livro fala um pouco da carreira de Tobe Hooper, diretor d'O massacre... Além dele, ele fez produções igualmente conhecidas como Força sinistra, Os vampiros de Salem, Contos da Cripta e Trilogia do Terror. Chegou a produzir até um clipe do ícone do rock Billy Idol - Dancing with Myself.

A franquia passou por inúmeras dificuldades até chegar a nós, telespectadores. Problemas na divulgação, direitos autorais, troca de elenco, sets de filmagem em ambientes quentes, que faziam a produção passar mal com insolação e contratos quebrados que renderam processos... Cortes na montagem pela violência exacerbada também foi outro dos vários empecilhos. Mas depois de mais de 40 anos de seu lançamento, o primeiro filme - bem como o primeiro [original] Leatherface ainda impacta quem o vê pela visceralidade que carrega em suas cenas... 

Grotesco e ao mesmo tempo apaixonante, The Texas Chainsaw Massacre vai além de um homem deformado perseguindo vítimas desesperadas em lugares inóspitos, trazendo uma serra na mão. Há uma aura de mistério pela origem do personagem, que - mesmo na tentativa de explicar sua história nas películas seguintes - não tira de quem o vê na tela certo fascínio por tanta brutalidade... Certamente é um título que merece  estar na coleção de qualquer apaixonado pelo Cinema clássico de Terror, e que vale muito a pena ser dissecado... 






† Dissecando Darkside †

| 26 outubro 2016 | 16 Comentários |
Trago no post de hoje os livros da Coleção Dissecando DarkSide Books. Tratam-se de obras que narram os bastidores de grandes clássicos do cinema de horror e que marcaram toda uma geração de fãs aficionados por cinema gore, sanguinolento e perturbador...

A editora publicou até  o momento três títulos: 
  • Evil Dead - A morte do demônio [Arquivos  Mortos], de Bill Warren
  • O  massacre da serra elétrica, por Stefan Jaworzyn e
  • Sexta-feira 13 - Arquivos de Crystal Lake, de David Grove.

Estou fazendo a leitura desses títulos, intercalando com outros livros e aos poucos irei trazendo as resenhas até vocês... As edições podem ser encontradas em brochura ou na versão Limited Edition, mas ambas são lindas e recheadas de informações sobre as franquias... É pra fazer o leitor/cinéfilo se apaixonar/aterrorizar novamente...

Outro ponto bacana que não poderia deixar de frisar é que as edições de Evil Dead e O massacre da serra elétrica podem ser adquiridas em conjunto, num Terror Box VHS, em que a caixa imita fitas de vídeo. Um verdadeiro artigo de  colecionador...

Se você curte o gênero, não pode deixar de adquirir os títulos em seu acervo do mal... São obras que merecem ser lidas, consultadas, revisitadas... Em suma, é um investimento perfeito para quem deseja se adentrar no universo de criação dos filmes...




Se deseja comprar, visite os links abaixo...

Box Terror VHS - Saraiva | Submarino 
Sexta-feira 13 - Saraiva  | Submarino
Sexta-feira 13 Brochura - Saraiva | Submarino 
O massacre da serra elétrica Limited Edition - Saraiva Submarino
Evil Dead - Submarino


Então é isso,espero que tenham curtido a postagem... Beijos nefastos a todos...

† O mal Real - monstros intitulados psicopatas... †

| 25 outubro 2016 | 8 Comentários |
A indústria cinematográfica e literária desde muito criou seus monstros. Alguns deles de carne e osso, sem poderes especiais ou aparência grotesca mas que possuem sede de sangue e até certo charme... São bem conhecidos como Serial Killers...

É praticamente impossível não ter visto um filme ou série que possua um personagem/vilão Serial Killer. Ou não ter lido alguma obra com eles ou livros que falem sobre o assunto; os assassinos em série da vida real. Casos pipocam nos jornais, no noticiário da TV ou pela internet... Em alguns lugares do mundo, em especial os Estados Unidos, há toda uma cultura de 'admiração' por tais indivíduos... 


Com esse post, pretendo expor alguns casos mais conhecidos, publicações do gênero e adaptações que surgiram em torno de tão dissimuladas e vis criaturas... Parece inconcebível ou surreal que alguém com características tão infames pertença a mesma espécie que nós... 

Segundo Ana Beatriz Barbosa em seu livro Mentes perigosas - o psicopata mora ao lado, os psicopatas se mostram inteligentes e sedutores, talentosos em ludibriar suas vítimas. E é possível que possamos identificá-los em nosso ao redor... São numerosos, mas uma ínfima parcela é do tipo mais brutal: são os chamados assassinos em série, que possuem formas meticulosas para eliminar suas vítimas e aumentar a pilha de corpos de sua macabras coleções... 

Hannibal Lecter

Como exemplo de inteligentes SK, temos Hannibal Lecter, personagem da obra de Thomas Harris, que ganhou vida no cinema na pele de Anthony Hopkins. Canibal, sagaz, desprovido de sentimentos e coberto de requinte. Há também Dexter Morgan, personagem da série de livros de Jeff Lindsay e que ganhou um seriado com Michael C. Hall no papel do inofensivo perito em sangue da Delegacia de Miami, mas que deixa seu 'passageiro sombrio' ganhar vida e eliminar assassinos que foram inocentados na justiça dos 'homens de bem'. Dexter tem um perfil para matar. A pose de bom-moço lhe permite conviver com 'os seus' sem que ninguém [ou quase ninguém] desconfie que há algo de muito vil em seu íntimo... 

Dexter e os donuts matinais...

Há casos de assassinos em série que foram inspirados em figuras reais, como por exemplo Norman Bates do livro Psicose e Leatherface, de O massacre da  serra elétrica. O próprio Hannibal tem características em torno desse mesmo homem: Ed Gein, psicopata americano que colecionava vulvas numa caixa de sapato, se vestia com as roupas da mãe morta e costurava usando pele de cadáveres que exumou do cemitério. Ed cresceu sob a influência de sua mãe, fanática religiosa avessa aos prazeres da carne e que enxergava o pecado em tudo. Após a morte de seu pai e da morte misteriosa de seu irmão, o que lhe restou foi cuidar dela, que faleceu após um derrame... Sozinho e isolado socialmente, desenvolveu-se em Edward uma loucura a princípio tomada como mais uma de suas excentricidades aos olhos dos habitantes da pequena Plainfield; mas quando Mary Hogan - dona do bar que Ed frequentava - desapareceu deixando uma poça de sangue, muitos duvidaram da afirmação do esquisitão ao dizer que ela tinha ido passar uns tempos em sua casa... A verdade veio a tona pouco tempo depois...

Ed Gein

Casos como o de Ed Gein podem ser lidos em algumas publicações sobre o assunto. Uma das mais completas e recheadas de informação é a obra Serial Killers - Anatomia do mal, uma espécie de dossiê publicada pela Editora DarkSide Books. É uma verdadeira relíquia para aficionados sobre o tema, e desvela casos hediondos para aqueles que possuem estômago forte o suficiente para encará-los. Além dele, posso indicar de forma segura a obra Arquivo Criminal - os grandes crimes do século passado, de autoria de Tim Hill. Esse título foca em casos de crimes que chocaram na época em que ocorreram, mas não  necessariamente sobre SK. Entretanto,alguns dos mais notórios assassinos em série são descritos no livro...

Perfil de uma mente Criminosa, de Brian Innes também pode ser uma importante fonte de consulta, trazendo casos como o de Jack estripador, o Bombista louco e O estrangulador de Boston. Em suma, tais personalidades nos causam um paradoxo de sentimentos: ódio e repulsa versus fascínio e pena. Odiados ou idolatrados, reais ou ficcionais, todos têm em comum o fato de despertar em nós, frágeis humanos, a mais mórbida curiosidade em entender suas mentes doentias...


† Top 3 - Mangás de terror para ler no Halloween †

| 24 outubro 2016 | 16 Comentários |
Olá, leitores queridos. ansiosos para a  Semana Especial Halloween 2016
Tenho algumas novidades legais para compartilhar com vocês, e aos poucos irei soltando dicas na FanPage e no Instagram do blog, além dos posts diários por aqui, claro... Será uma semana intensa, e espero que vocês apreciem as doçuras e travessuras que tenho a oferecer... 


Estreando a semana, resolvi fazer um Top 3 com alguns mangás de Terror. 
Dois deles já haviam sido postados por aqui, e só basta clicar nos nomes para saber os pormenores.


Escrito por Hiroshi Takahashi e desenhado por Koji Suzuki, Ring - o chamado se trata da adaptação do filme homônimo japonês em versão mangá, que possui dois volumes e foi lançado aqui no Brasil pela Editora Conrad. A arte é belíssima e nos rende alguns momentos de horror... Acho válido para quem conhece o filme, mas para quem nunca assistiu, é uma boa começar pelos mangás... 



Minha segunda indicação é o quadrinho H. P. Lovecraft, contos do escritor em formato banda desenhada... Os contos que compõem a obra são O templo, O cão de caça e A cidade sem nome. Essa HQ é uma ótima porta de entrada a quem deseja conhecer o trabalho do mestre do horror, bem como o universo dos mangás... A arte e adaptação são assinadas por Gou Tanabe...

Panorama do Inferno

Fechando o post com chave de ouro, resolvi falar um pouco do volume único de Panorama do inferno, do mangaká Hideshi Hino. Ele é bem conhecido como sendo um dos grandes mestres dos quadrinhos de horror japoneses... Fez bastante sucesso nos anos de 1960. Mas Panorama do Inferno surgiu quando o gênero já entrava em decadência... No começo dos anos 1980, a história é sobre a obsessão de um pintor desconhecido pelas profundezas infernais. De caráter autobiográfico, Panorama do inferno e seu criador tem histórias curiosas, envolvendo um episódio de Guinea Pig, raptos e assassinatos em 1989. Com o culpado atrás das grades, a exposição na mídia [negativa de início] acabou trazendo ao sucesso novamente todo o gênero terror, e até hoje Hino é um dos mais populares em sua profissão...

O traço de Hideshi Hino é bastante expressivo, e nos remete a algo claustrofóbico, esquizofrênico, perturbador... 

"Este é um surpreendente depoimento repleto de loucura e terror, contado por um pintor desconhecido que se entregou aos encantos do inferno, seduzido por sua beleza e seu cheiro de sangue..."


E então, já tinham ouvido falar de alguma dessas HQ's? Sentiram curiosidade em saber mais a respeito? Me falem nos comentários. Vamos interagir... 
Beijos nefastos... 

O cotidiano e a História, de Agnes Heller

| 21 outubro 2016 | 8 Comentários |
Alguns meses atrás, solicitei o título O cotidiano e a história para resenhar. Não imaginei que levaria tanto tempo para absorver leitura tão densa... Fazia tempo que não me deparava com linguagem acadêmica e foi uma maneira de voltar aos velhos tempos de faculdade...

O livro trata sobre diversas questões acerca do cotidiano na sociedade, a ética no meio social e faz uma verdadeira análise do individualismo que permeia as relações humanas. Natural de Budapeste, Heller foi aluna de Georg Lukács, de quem se tornou assistente e faz referência a alguns de seus estudos ao longo da obra... É integrante da Escola de Budapeste, grupo de pensadores que "dirige-se contra o historicismo subjetivista e versões estruturalistas da filosofia de práxis." 

Considero uma obra difícil, voltada mesmo para leitores do meio histórico-acadêmico-social. Karl Marx é citado em boa parte do texto, servindo de base para a estrutura do mesmo. O capítulo inicial aborda a estrutura da vida cotidiana e seus aspectos no social e individual. Heller afirma que a vida cotidiana não é somente heterogênea, mas também hierárquica. Tal hierarquia vai se modificando de acordo com as estruturas econômicas e sociais de sua época.

"O homem nasce já inserido em sua cotidianidade. O amadurecimento do homem significa, em qualquer sociedade, que o indivíduo adquire todas as habilidades imprescindíveis para a vida cotidiana da sociedade (camada social) em questão. É adulto quem é capaz de viver por si mesmo a sua cotidianidade."

A aceitação do indivíduo no meio social se dá através das ações mecânicas realizadas sobre a alcunha do cotidiano. Das necessidades humanas voltadas para o "Eu", surgem afetos e paixões. Outro ponto importante que acho válido ressaltar é seu pensamento crítico sobre a alienação, em que o homem acaba devorado pelos papéis que desempenha na sociedade, cumprindo de maneira adequada cada um deles... Há um caráter de representação ordenando que o cotidiano se transforme numa ação moral e política...

Heller ainda aborda preconceitos na sociedade, em que o pensamento implica no comportamento do indivíduo. Há uma espécie de dicotomia no preconceito. Por vezes, trata-se de um juízo provisório que se afirma como verdade até o momento em que o homem se vê frente a frente com perspectivas até então ignoradas. Estão presentes ainda na obra considerações sobre o indivíduo e a comunidade em que vive, os papéis sociais vivenciados no cotidiano e a ética no marxismo, onde ela se faz presente. 

"A ética tem seu lugar na concepção de Marx. Procuraremos precisar ainda, em breves traços, qual é esse lugar e o que é que o caracteriza."

Em suma, O cotidiano e a história é um livro de linguagem complexa para leigos mas que pode levantar questões pertinentes sobre o tema apresentado. É, certamente, uma leitura enriquecedora...

TAG Sete Pecados

| 20 outubro 2016 | 4 Comentários |
Vi no blog Leitora Descontrolada a TAG Sete Pecados e lá vou eu responder aqui para vocês...


1 - Inveja - Um livro que gostaria de ganhar de presente

Queria muito O estranho Mundo de Tim Burton. Quando vejo que alguém tem ele na estante fico babando... Infelizmente a primeira edição está esgotada, mas ele foi relançado pela Editora Leya e desde então, estou de olho novamente... Embora goste mais da capa da edição antiga, aceitaria de bom grado o livro novo...


2 - Luxúria - Atributos que acho mais atraentes em personagens femininos e masculinos.

Gosto de personagens misteriosos, independente do gênero... Um personagem com um quê de mistério, loucos ou grotescos sempre me impressionam...

3 - Orgulho - Livro que eu tenho mais orgulho de ter lido.

A trilogia O senhor dos anéis, de J. R. R. Tolkien. Amor demais pela Terra-Média e todos os personagens que ele criou...

4 - Preguiça - Livro que negligenciei devido a preguiça.

Dom Quixote de la Mancha, de Miguel de Cervantes... e nem achei o livro ruim, mas como fui lendo por partes, ao pegar o volume único acabei 'empacando' na leitura... preciso concluir...

5 - Gula - Livro que devorei sem vergonha alguma.

A comédia mundana, de Luiz Biajoni. Um puta livro nacional, com uma forte temática e escrita deliciosa... 

6 - Ira - Autor tenho uma relação de amor/ódio.

H. P. Lovecraft. Amo seus escritos mórbidos mas o fato dele ser racista me deixou arrasada... 


7 - Avareza - Livro mais caro e mais barato.

O mais barato que comprei me custou apenas 0.50 centavos [Fada cisco quase nada, de Sylvia Orthof]. O mais caro foi Serial Killers: Anatomia do Mal; paguei 65 reais nele, mas valeu muito a pena. É um puta livro... 

Então, espero que tenham gostado dessa TAG. Sintam-se à vontade para responder... Até a próxima postagem... beijos...

Ebooks Darkside

| 18 outubro 2016 | 12 Comentários |
Olá, leitores queridos. A Darkside Books disponibiliza em seu site 3 ebooks que podem ser baixados ou lidos na própria página. São eles:

Partes do Eu - Augusto dos Anjos
O corvo - Edgar Allan Poe
O hóspede de Drácula - Bram Stoker


Esses ebooks são essenciais na estante virtual de qualquer leitor fã do gênero. Para quem gosta de obras clássicas, vai se deleitar com todos... Li dois deles e pretendo ler a obra de Augusto em breve... Mesmo não sendo adepta da leitura em formato digital, ouso dizer que a leitura dos mesmos não se torna cansativa, e ao menos comigo fluiu de maneira tranquila...

Se quiserem saber um pouco mais sobre os títulos, visitem os links abaixo das resenhas que fiz a respeito...
Espero que apreciem as leituras...
Beijos e até a próxima...





História e Imagem - Analisando temas sociais nas histórias em quadrinhos...

| 17 outubro 2016 | 8 Comentários |


Uma HQ ou livro podem revelar muito de sua época. Neste artigo acadêmico realizado para a disciplina de História e Imagem, o texto fala sobre a abordagem didática em determinadas histórias, e que um professor pode utilizar tais obras a fim de ampliar discussões em sala de aula através desse recurso... 

Na HQ O livro de ouro do Hagar, o horrível, uma aclamada tirinha que há anos está no mercado e que narra o cotidiano de um bárbaro e sua família, com todos os estereótipos que o termo 'bárbaro' simboliza, pode-se identificar elementos que abordam a questão da xenofobia entre as tiras, como no trecho que se segue:


Analisando de maneira mais detalhada, podemos encontrar a crítica à xenofobia. A tira remete que os povos do oriente são ladrões. O exotismo do Oriente é estampado na linguagem (encantamentos, mercado de ladrões). A visão que o Ocidente tem (no geral) sobre o oriente é de que lá tudo é exótico, diferente, primitivo, mágico. Sabemos que esse conceito vem de muito tempo, mas trazendo a tirinha para a atualidade, ainda hoje o pensamento de muitos, inclusive os etnocêntricos, é de que as discrepâncias entre os dois hemisférios tornam o lado Leste inferior ou menos civilizado que o nosso.

Não afirmo que Dik Browne tinha esse pensamento ao desenhar a tira, até porque desconheço suas ideologias, mas é no mínimo curioso ver a figura de um bárbaro nórdico, que apesar de europeu, também seria condenado ao termo 'incivilizado' por seus vizinhos, se referir ao oriente dessa maneira.
Se aprofundarmos ainda mais a análise, seria necessário estudar as origens dos povos bárbaros, os conflitos do Oriente com a Europa ''civilizada'', conquistadora de terras do Novo Mundo.

Outro ponto interessante é o papel das mulheres na tirinha. A esposa Helga e a filha de Hagar ocupam posições domésticas na história, como várias antigas civilizações relegam tal papel às suas mulheres. Porém - para mulheres que viviam na idade média -  até que elas não se submetem a tudo que os homens querem. Em várias situações, Helga encarna o papel de poder dominante na hierarquia da casa. Semelhante ao que Honi faz com seus pretendentes...

Tendo castelos a invadir, batalhas a conquistar e decisões importantes a tomar, Hagar ainda precisa lidar com uma esposa que não baixa a cabeça aos seus caprichos e uma filha adolescente que lhe traz algumas dores de cabeça, como a maioria das garotas de dezesseis anos trazem aos pais, mesmo nos tempos mais modernos... 

A HQ usa do recurso satírico a fim de construir a crítica social a respeito do tema. Dik Browne faz essa ponte entre a idade média e a idade contemporânea: a qualidade de vida, dietas, impostos a pagar, liberdade feminina e a rotina do casamento são questões que um homem de hoje também tem que lidar. Seria uma família típica dos anos de hoje ambientada numa época que permite que seus homens usem chifres no capacete, guerreiem e pilhem seus prisioneiros. Tudo isso regado a muita cerveja (ou vinho).


Para se aprofundar mais nos conceitos de Oriente, barbarismo e quadrinhos como recurso de ensino, segue a bibliografia abaixo...

RAMOS, Paulo. Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. Editora Contexto, 2007.
MCCLOUD, Scott. Desvendando os quadrinhos. Editora M. Books, 2004.
SAID, Edward W. Orientalismo - O oriente como invenção do ocidente. Editora Companhia das Letras, 2007.


Lançamentos da Caveirinha

| 16 outubro 2016 | 23 Comentários |
Olá, meus queridos leitores... Trago a vocês dois títulos que são lançamentos da Editora DarkSide Books e que pretendo colocar em meu Acervo Particular. São eles:

Amityville

Depois de passar algumas décadas fechada, a propriedade no número 112 da Ocean Avenue no subúrbio de Nova York finalmente abre as portas para os leitores da DarkSide® Books. Cercada pela natureza, com janelas amplas e uma sacada espaçosa, ela poderia ser uma casa de bairro tranquila como todas as outras, não fosse seu passado devastador e sangrento. Em 1975, George e Kathleen Lutz resolveram recomeçar a vida em uma nova residência que compraram por uma pechincha. Vinte e oito dias depois, os cinco membros da família fugiram aterrorizados, deixando a maior parte de seus pertences para trás. Estranhos eventos começaram a acontecer, afetando a vida dos Lutz e indicando que uma presença maligna habitava a casa. Embora tenha sido amplamente divulgada pela mídia, em especial nos jornais e nas revistas da época, muitas vezes de maneira sensacionalista, a história da casa nunca havia sido contada com riqueza de detalhes — até Jay Anson decidir reconstruí-la e transformar seu livro de não-ficção em um dos relatos paranormais mais importantes e conhecidos de todos os tempos.
Baseado nas experiências sobrenaturais reportadas pelos Lutz durante o mês de dezembro de 1975 e o começo de janeiro de 1976, Amityville é um dos livros mais aguardados pelos leitores da Caveirinha. Por isso mesmo, muito mais do que dar apenas aquela demão de tinta, a DarkSide® Books vai fazer uma reforma completa na casa, apresentando a sombria construção em detalhes, do quarto secreto no porão às verdadeiras manchas nas portas e nas paredes escondidas pelas tintas do tempo — tudo exatamente como aconteceu, com todos as entidades e vozes que habitaram o sótão, o porão e demais cômodos da casa —, em uma edição assustadora e com o cuidado quase sobrenatural da editora mais dark do Brasil. Adaptada várias vezes para o cinema e contando também com diversos spin-offs, a história de Amityville hoje é amplamente conhecida e é considerada um dos mais importantes relatos sobre casas mal-assombradas da cultura popular.



Amityville
Jay Anson
2016
Páginas: 240











Os pássaros

Você conhece o filme. É um dos maiores clássicos de Alfred Hitchcock, de 1963. Nos créditos, consta que a história é baseada no conto “Os Pássaros”, de Daphne du Marier, escritora que o mestre do suspense já havia adaptado antes. Quase trinta anos após seu lançamento, o romance de Frank Baker ganharia repercussão quando o autor ameaçou processar Hitchcock e Daphne Du Maurier. Para deixar essa estranha coincidência com ares de plano macabro: Daphne era prima do antigo editor de Frank Baker, o inglês Peter Davies, e chegou a trabalhar com o parente.
Pássaros. Milhares, talvez milhões, sobrevoam Londres, de forma aparentemente inexplicável e sem sentido, onde parecem observar os habitantes da capital, que os consideram divertidos, se tanto um pouco estranhos. Enquanto as pessoas ainda tentavam entender o que faziam ali, eles começam a atacar, ferindo e até mesmo matando com tremenda brutalidade e violência. Seriam eles uma força da natureza ou uma manifestação sobrenatural? Ninguém sabe. A única certeza é que o objetivo dos pássaros é a destruição da humanidade e ninguém tem ideia de como impedi-los...
No ano em que se celebra os 80 anos da primeira edição, a DarkSide® Books orgulhosamente apresenta o livro Os Pássaros para todos os leitores e cinéfilos brasileiros apaixonados por um bom susto, um retrato sombrio e acurado de uma Londres pré-Guerra, como se Baker conseguisse vislumbrar o futuro próximo de terror e feitos inomináveis apresentado pela Segunda Guerra Mundial.



Os pássaros 
Frank Baker
2016
304 páginas

















Eu já li Amityville mas em outra edição, mas vou doar a  minha antiga pra ter uam da Darkside, Os pássaros eu conheço por causa do filme. Amo o cinema de Hitchcock. Não vejo a hora de fazer essas leituras... E vocês? Me falem nos comentários.  ;)
Até a próxima, beijos...

O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares

| 13 outubro 2016 | 17 Comentários |
Raramente me rendo a leituras que andam a toda, fervilhando na blogosfera... Mas devido a estreia da versão cinematográfica assinada por Tim Burton, um de meus diretores preferidos, resolvi adiantar a leitura de O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares, escrito por Ransom Riggs e publicado pela Editora Leya, a fim de ver o filme sem medos...

Há muito sei que se trata de uma história que não é de horror, como a principio pensei que fosse... Coloquei algumas expectativas, confesso, mas ainda bem que foram todas alcançadas, e diria até superadas... Jacob é um rapaz que vai até uma ilha remota no País de Gales a fim de descobrir mais sobre o passado de seu avô, com quem possui um laço afetivo muito forte e por saber que ele vivenciou os horrores da Segunda Guerra.


 Mas muito do que houve em sua vida foi mantido em segredo... As histórias que ele contava durante a infância de  Jacob beiravam o absurdo, e logo o rapaz desacredita de tudo. Porém, algo aterrorizante acontece e é em busca de respostas que ele e seu pai vão até a ilha a fim de encontrar a diretora do orfanato onde vovô Portman viveu, que provavelmente está muito velha ou já pode ter falecido...

Ao chegar lá, eles percebem que será difícil encontrar alguma pista do local exato. A ilha é isolada, vivem poucas pessoas por lá...um local que sobrevive basicamente da pesca... Quando finalmente encontra o orfanato [em ruínas] suas esperanças vão abaixo, mas algo estranho acontece, e ele se depara com pessoas incomuns... E logo um universo se abre diante de si, envolvendo o protagonista numa grande e perigosa aventura, com seres etéreos e peculiares...

A escrita de Ransom Riggs é envolvente e nos prende  até o fim... Foi difícil largar o livro em alguns momentos mas eu precisava comer, tomar banho, e afins... Desde as primeiras páginas já me senti sugada pelo livro... O desfecho deixa um gancho para a continuação: Cidade dos Etéreos... 

Outro ponto que acho importante falar a respeito são sobre as fotografias que ilustram o livro... Foram elas que me despertaram curiosidade pela história, devido a sua morbidez... A edição está fantástica e recomendo a leitores que amam uma fantasia repleta de elementos misteriosos, de narrativa ágil e em primeira pessoa... É uma verdadeira viagem que transporta o leitor ao ambiente que permeia a trama...



O mestre do Horror e A hora do Lobisomem...

| 12 outubro 2016 | 9 Comentários |
Stephen King é um dos nomes que mais influenciaram meus gostos desde a mais tenra infância... Vi várias adaptações de seus inúmeros livros, repetidas vezes ao longo dos anos... Um dos filmes mais marcantes é Bala de Prata, ou A hora do lobisomem... E foi com agradável surpresa que encontrei o livro entre uma pilha de um amigo que estava se desfazendo dele...

De narrativa ágil e ritmo alucinante, conhecemos alguns personagens que morrem pelas mãos de uma Besta assassina, que só ataca em noites de lua cheia, numa cidadezinha do Maine, Tarker's Mills... A narrativa de King é de uma riqueza de detalhes, a ponto de fazer o leitor visualizar as cenas como se ocorressem em sua presença... E é de forma aterradora que pessoas como Arnie Westrum, Stella Randolph ou o garoto Brady Kincaid são despedaçadas ante nossos olhos, um a cada mês...

No feriado de 4 de julho, a população da cidade está apavorada. Ninguém sabe quem pode ser a próxima vítima do misterioso assassino e os festejos com fogos acabam sendo suspensos, devido ao toque de recolher de Tarker's Mills. Marty Coslaw está arrasado. As pessoas não compreendem o quanto aquela celebração é importante pra ele, o quanto as luzes explodindo no céu lhe deixam feliz, enquanto as observa queimar sentado em sua cadeira de rodas. Ele tem apenas dez anos mas já aceitou suas condições limitadas... É um pequeno prazer quando seu tio Al lhe presenteia com uma caixa cheia de  fogos e lhe orienta a não explodir os que fazem barulho... Sendo assim, ele terá seu 4 de julho particular, quando toda a família se recolhe naquela noite... Mas ele não esperava que algo espreitava em seu jardim, e o atacasse... Mas com uma coragem aliada ao pavor, ele fere a criatura bestial... 


Os meses se passam e os ataques continuam. As pessoas decidem fazer uma caçada na cidade. O lobo precisa descobrir quem o feriu, mas ele não lembra nada daquela noite. O ataque lhe custou o olho esquerdo... Em contrapartida, o depoimento do menino não serviu de muito, mas ele sabe que o assassino está na cidade, pertence a ela e logo ele terá a prova de que necessita para enfrentar o monstro... O desfecho dessa [des]ventura pode não impressionar pela previsibilidade, mas não há como negar que o autor o descreve de forma a prender o leitor, que não vai abandonar a leitura antes de descobrir como tudo termina...

A hora do lobisomem possui poucas páginas e pode ser lido em poucas horas. Apesar de ter lido alguns títulos do mestre, nunca tinha tido a chance de trazer alguma resenha aqui para o blog... Aproveitando o mês de Halloween, inseri essa [re]leitura em minha meta... Já leram? Já viram o filme? Ficaram curiosos? Me contem nos comentários... Vou adorar interagir com vocês...

Beijos e até logo...

╬† Literatura no Mundo ╬†

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...