O fotógrafo Volume 2

| 29 dezembro 2017 | 8 Comentários |
E com grande deleite trago para vocês que visitam sempre o meu blog as minhas impressões sobre o segundo volume de O fotógrafo. Havia falado no texto do primeiro livro que não tinha previsão de comprar os dois seguintes para completar minha coleção, e eis que por acaso encontro por um preço bacana e agora tenho a trilogia completa no acervo. O volume três já foi lido e logo falarei dele por aqui...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


O fotógrafo - Uma história no Afeganistão retrata o dia-a-dia de Didier Lefèvre pelos desfiladeiros do interior do Afeganistão e nesse volume dois ele finalmente chega ao destino pré-estabelecido: Zaragandara, bem no interior do país. Ele se depara  com um hospital bastante precário onde a equipe dos Médicos Sem Fronteiras se instalam a fim de ajudar a população local em suas enfermidades. O quadro se revela cruel em meio a um ambiente inóspito, assolado por conflitos entre afegãos e russos e Didier procura registrar tudo com sua câmera. 


Publicada pela editora Conrad, a trilogia possui um traço marcante e mesclada à narrativa dos acontecimentos, nos soa como uma expedição em que o próprio leitor se vê inserido na viagem. É interessante acompanhar a jornada dos médicos e do fotógrafo, conhecer um pouco da cultura afegã, bem como as dificuldades rotineiras de um país que viveu um momento complicado nos anos 1980...

As fotografias são bastante expressivas, crianças, idosos, animais, o próprio ambiente montanhoso e de vilarejos nos oferece um panorama distinto de  nossa cultura ocidental. É incrível poder conhecer um pouco do oriente sob o foco de um profissional que parece alheio/neutro aos conflitos ali existentes.


Se você quiser saber mais a respeito dessa série de quadrinhos, leia a resenha do primeiro volume neste link. É aconselhável ler os três livros em sua sequência correta, a fim de não perder os detalhes da aventura de Lefèvre pelas montanhas afegãs.

Beijos e até a próxima postagem... espero que tenham gostado... 

O divertido e cáustico humor de Woody Allen em Adultérios

| 27 dezembro 2017 | 10 Comentários |
Adultérios consiste numa obra publicada pela L&PM Editores que reúne três histórias do aclamado e polêmico cineasta Woody Allen, ambientadas em Nova York e arredores, nos apresentando personagens novaiorquinos em situações pra lá de inusitadas envoltos com infidelidade. 

É presente na personalidade dos protagonistas um misto de desespero, angústia e a tentação que um relacionamento proibido pode causar. Na primeira delas, um diálogo curioso na beira de um rio, entre dois estranhos, enquanto um deles espera por sua amante, a fim de romper o affair. O personagem 'chato' depois de muita enrolação revela que vem seguindo o diretor de cinema, sabe de seu caso, e a princípio não querendo dar atenção para Fred, Jim acaba envolvido pela sua conversa fiada e quando Bárbara aparece, a situação já beira o absurdo. E fica ainda mais com a intromissão dele junto ao casal. 

Que leitura afudê 💜💙💙

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em





Na segunda história temos dois casais fazendo um churrasco e de repente aparece um casal alegando que já moraram naquela casa. Após a breve apresentação formal a situação 'descamba' para um verdadeiro jogo de confissões constrangedoras, em que uma das irmãs estava com o próprio cunhado. Até o casal que chegou e causou a discórdia começa a soltar os podres que tinham guardados de sua própria relação. 

Por fim, mas não menos divertida,  conhecemos Carol e Phyllis, duas amigas que logo irão se odiar, devido à infidelidade de uma com o parceiro da outra. Entram em cena outros personagens que só vão bagunçar ainda mais a situação. Allen consegue prender a atenção do leitor com diálogos carregados de acidez, piadas prontas e um tom de cômico, já bem familiar a quem aprecia seus filmes. 

Adultérios se revelou uma leitura divertidíssima, cheia de espiritualidade e humor trágico. As situações em que se encontram os personagens beiram o patético, e é curioso acompanhar os desfechos, e como essas pessoas resolvem seus casos amorosos. Pode soar como uma crítica às paixões humanas, aos acontecimentos corriqueiros que podem acabar em revelações, divórcios e perdões. Adultérios aponta as fraquezas de casamentos em decadência, desvela relacionamentos intempestivos e descortina a fórmula de como tudo pode acabar em 'pizza'...



Descobertas Literárias 2017

| 26 dezembro 2017 | 11 Comentários |
Esse ano não ousei muito com autores novos, e na maioria das vezes acabei permanecendo em minha zona de conforto, com autores que eu já conhecia, leituras de gibis dos mais variados tipos e algumas [bem poucas] revistas de temáticas também variadas... 

Mas fazendo um apanhado geral em minhas leituras, eis os autores que 'descobri' esse ano e que já entraram no rol de preferidos da vida... 

Eduardo Galeano
Carlos Fuentes
Sheridan le Fanu
Aldyr Garcia Schlee
Milton Hatoum
Lêdo Ivo
Fátima Quintas
Woody Allen




Como puderam perceber na lista, tive uma relevante leitura com autores clássicos, latinos e brasileiros. Li bastante poesia, contos e ficção. Desisti de estabelecer metas e projetos com leituras pré-determinadas porque vinha fazendo isso há alguns anos e não obtendo sucesso em completar as listas. Resolvi que a partir de 2018 minhas leituras serão mais livres, simplesmente deu vontade de ler, pego na estante e me entrego ao livro. 

A única coisa que vou me 'comprometer' é ler mais italianos, gregos, escandinavos e leste europeus. São várias as indicações que ando recebendo...

E como foram as leituras de vocês? Espero que tenham sido proveitosas... Beijos e até 2018 com mais autores pra chamar de crushs

Blake e O casamento do Céu e do Inferno

| 23 dezembro 2017 | 8 Comentários |

William Blake é um autor inglês considerado precursor da liberdade sexual da mulher, do individualismo e um revolucionário. Sua obra influenciou autores como Walt Whitman e a obra O casamento do céu e do inferno é considerada sua obra-prima. Além de poeta, foi pintor e gravurista.

Em meados de 1790 ele escreveu O casamento do céu e do inferno, em chapas coloridas com desenhos que circundavam todo o texto. O livro tece uma crítica à  religiosidade, atacando a ortodoxia das igrejas, além de princípios sociais, literários e políticos de sua época. 

É interessante notar certo misticismo permeando sua escrita, além de uma recusa ao autoritarismo. Seus textos eram considerados estranhos para a sociedade inglesa naquele período em que a Inglaterra vivia um momento histórico com a Revolução Industrial, além das ideias iluministas que ganhavam força entre os pensadores e intelectuais. 

O casamento do céu e do inferno possui uma dualidade corpo vs alma rejeitando a ideia de que tudo que é proveniente do corpo é demoníaco e o que é proveniente da alma é divino. Trata-se de uma das obras mais importantes do Romantismo dotada de originalidade e estranheza para os padrões do século XVIII.

"Um homem cuja face não brilha jamais se tornará um astro."

Em edição bilíngue a Hedra Editora possui uma tradução primorosa dos escritos de Blake, organizada por Ivo Barroso, bem como uma linha cronológica e um apêndice ao final da edição. 

"As prisões são erguidas com as pedras da Lei e os Bordéis com os tijolos da Religião."



William Blake influenciou artistas de nosso século, como o vocalista Jim Morrison, que batizou sua banda como 'The Doors' [As portas] devido a uma citação do autor que diz: "se as portas da percepção estivessem limpas tudo se mostraria ao homem tal como é, infinito." O misticismo na obra de Blake serviu de base para a própria filosofia seguida por Jim, que incorporava aos seus versos sombrios facetas da escrita do poeta... 


Quote - Os homens ocos / T.S. Eliot

| 22 dezembro 2017 | 15 Comentários |

"Nós somos os homens ocos,





nós somos os homens empalhados
apoiados uns aos outros,
a cabeça cheia de palha. Ai de nós!
Nossas vozes rouquenhas, quando sussurramos juntos,
são suaves e não têm sentido, como o vento na relva seca
ou os pés dos ratos que passam sobre vidro quebrado na nossa adega vazia.
Feio sem forma, sombra sem cor, força paralisada, gesto sem movimento;
os que já cruzaram com o olhar para frente,
o outro reino da morte recordam-se de nós - se é que assim seja –
não como almas perdidas, exaltadas,
mas simplesmente como homens ocos, homens empalhados.
Olhos, não ouso fitá-los nos sonhos.
No reino do sonho da morte
estes não aparecem;
os olhos são a luz solar
numa coluna partida.
Ali está uma árvore que balouça
e há vozes na canção do vento,
mais distantes e mais solenes
que uma estrela que se apaga.
Que eu não mais me aproxime
do reino do sonho da morte.
Que use disfarces,
pêlo de rato, pele de rato, sarrafos cruzados
num campo,
fazendo o que o vento faz
e não mais.
Não aquele encontro final
na região crepuscular.


Esta é a terra morta,
esta é a terra do cacto.
Aqui as imagens de pedra
são erguidas, aqui elas recebem a súplica da mão de um morto
sob a cintilação de uma estrela que se apaga.
É assim
no outro reino da morte.
Despertar a sós
no instante em que estamos
tremendo de ternura,
lábios que beijariam
até a laje partida.
Os olhos não estão aqui,
não há olhos aqui
neste vale de estrelas moribundas, neste vale oco,
esta garganta partida dos nossos reinos perdidos.
Neste último reduto de encontros nós nos agrupamos e evitamos falar.
Reunidos nessa praia de rio cheio
sem vista, a não ser
que os olhos desapareçam
como a estrela perpétua,
rosa multifoliada,
a única esperança
do reino do crepúsculo da morte dos homens ocos.

Aqui vamos andando à roda da pêra silvestre,
pêra silvestre, pêra silvestre,
aqui vamos andando à roda da pêra silvestre,
Às cinco horas da manhã
entre a idéia
e a realidade,
entre o gesto
e o ato
desce a sombra,
pois o reino é teu.
Entre a concepção e a criação,
entre a emoção
e a resposta,
desce a sombra.
A vida é muito longa.
Entre o desejo
e o espasmo,
entre a força
e a existência,
desce a sombra.
Pois o reino é teu,
pois tua é a vida,
pois tua é...
É assim que acaba o mundo.
É assim que acaba o mundo.
É assim que acaba o mundo.
Não com um estrondo,
mas com um gemido."


Azul de Ti - Eduardo Carranza

| 21 dezembro 2017 | 6 Comentários |


"Pensar en ti es azul, como ir vagando
por un bosque dorado al mediodía:
nacen jardines en el habla mía
y con mis nubes por tus sueños ando.

Nos une y nos separa un aire blando,
una distancia de melancolía;
yo alzo los brazos de mi poesía,
azul de ti, dolido y esperando.

Es como un horizonte de violines
o un tibio sufrimiento de jazmines
pensar en ti, de azul temperamento.

El mundo se me vuelve cristalino,
y te miro, entre lámpara de trino,
azul domingo de mi pensamiento."

Contos plausíveis - a poética crua de Carlos Drummond...

| 19 dezembro 2017 | 14 Comentários |
Contos plausíveis reúne mais de cem historietas contadas pelo grande Carlos Drummond de Andrade, que narram situações do cotidiano com toques de fantástico. Com uma escrita carregada de metáforas, Drummond consegue tecer críticas pertinentes à sociedade de seu tempo, e que - apesar de terem sido escritas décadas atrás, ainda se fazem vivas e atuais em nossa época. 
Não espere total coerência nas mini-tramas que trazem personagens diversos, crus e reais. A cada conto, a sensação que fica no leitor é de um redemoinho de melancolia, confusão e reflexão. É quase palpável a sensibilidade utilizada pelo autor para construir narrativas que beiram o complexo, mas que trazem a simplicidade em sua linguagem. 



Consegui essa obra no sebo que frequento na cidade vizinha, e afirmo que foi um verdadeiro achado. Os contos podem ser lidos aleatoriamente, sorvidos aos poucos, lidos de uma vez mas em qualquer situação é certo o impacto que a leitura pode causar ao leitor... Drummond nos presenteia com um despretensioso jogo de palavras que [des]concerta, [des]conecta do real e imprime leveza-dureza em nosso íntimo. 


Caixa de Correio Novembro/2017

| 16 dezembro 2017 | 20 Comentários |



E vamos mais uma vez à caixa de correio do blog. A penúltima do ano, pois pretendo trazer em poucos dias as aquisições de dezembro... Logo no início do mês recebi os livros do Projeto Itaú O menino azul, de Cecilia Meireles e Em cima daquela serra, de Eucanaã Ferraz. Fiz as leituras no mesmo dia, e pretendo fazer uma postagem sobre esses livros do Projeto futuramente...



Tive a sorte de ganhar uma promoção no instagram da Adriana do Redatora de Merda e recebi o envelope negro tão cobiçado pelos leitores de horror, da editora Darkside Books, com um exemplar da Revista Dark e o livro Medo Clássico de Edgar Allan Poe. Fiquei apenas um pouco feliz... apenas [/fecha ironia] hehehe


Poucos dias depois recebi o livro 501 grandes escritores que ganhei da minha turma do 8º ano do Fundamental II, como presente pelo dia dos Professores. Claro que farei postagem sobre ele em breve por aqui, fiquem de olho...



Ainda pelo dia dos professores, ganhei de um amigo um  exemplar da Obra poética de Garcia Lorca, edição bilíngue maravilhosa que me deixou nos céus...



Em minhas visitas ao sebo trouxe uns exemplares de bolso da L&PM Pocket, que nunca são demais pra se ter na estante...




Além dos títulos da L&PM eu acabei trazendo Nova Antologia Poética, de Vinícius de Moraes. Ainda comprei uma linda edição de Albert Camus e o livro da série Hannibal, Dragão Vermelho. Falta apenas o último volume para fechar minha coleção...




Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em



Como se não bastasse carregar todos esses livros pra casa no mesmo dia, ainda comprei o livro calhamaço 1001 Filmes para ver antes de Morrer. Até meu pai se empolgou e ficou folheando no caminho...


Resolvendo me inserir na escrita de Pepetela aproveitei pra comprar um de seus títulos que estava numa promoção de banca. Além dele trouxe mais um livro de José de Alencar e um livro de Manoel de Barros...





Nesse post já ficou evidente meu amor pela L&PM, não é? E a caixa de correio ganha mais 3 exemplares da editora, achados no sebo: Kurt Vonnegut, Truman Capote e Stefan Zweig...



Sou apaixonada por uma boa biografia, ainda mais quando se trata de uma personalidade que eu admiro ou sinto curiosidade sobre sua vida. Nas Americanas tinha uma promoção do livro Commando, capa dura, por apenas dez pilas... Não resisti. Foi tentador demais... Trata-se da bio de Johnny Ramone, integrante da banda punk Ramones.




Meu interesse pelos autores italianos só vem crescendo, então resolvi adquirir dois títulos indicados por um amigo: O falecido Mattia Pascal, de Luigi Pirandello e A viagem decisiva, de Andrea Camilleri.



Recebi em parceria com a Companhia das Letras os livros solicitados de julho, agosto, setembro e outubro. Houve um atraso e acabei recebendo os 4 num pacote só. Três já foram lidos e tem resenha deles aqui: Na colônia penal em quadrinhos, Notas sobre Gaza e A noite da espera. Sexus será lido e resenhado em breve...


Em mais uma visita ao sebo do Dedê em Carpina, acabei fazendo uma troca e trouxe um exemplar de Julio Cortázar para meu acervo dos latino-americanos...




Na banca de revistas, as compras se resumiram a edição mais recente do mangá Full Metal Alchemist e uma revista Superinteressante, sobre Crimes.





Entre os achados do sebo, trouxe sem saber um livro de Ariano Suassuna autografado por ele... Me senti a super sortuda... Além de O santo e a porca/O casamento suspeitoso, ainda peguei uma biografia de Amaro Quintas escrito pela filha dele, Fátima Quintas, Fernando Sabino e mais um Vinicius de Moraes, além da parte 1 d'A divina Comédia em verso...



Para encerrar o mês de novembro, os últimos títulos adquiridos em trocas no sebo: Lêdo Ivo, Raymond Chandler, Carlos Drummond de Andrade, Gilberto Freyre, Gabriel Garcia Márquez... é... meu garimpo foi bem frutífero...


Alguns dos livros aqui apresentados já foram lidos e tiveram suas resenhas postadas ao longo do mês de novembro e dezembro... Aos  poucos vou compartilhando mais das minhas experiências de leituras e sintam-se à vontade para acompanhar tudo pelo meu instagram também...

Então, por hoje é 'só'. heehhe...

Beijos a todos ;) 

Os fragmentos de Fátima Quintas em Alfenins e Alfinetes

| 15 dezembro 2017 | 7 Comentários |
"As mãos, tão minhas, falam mais do que eu mesma."


Comprada na Bienal do Livro em outubro, Alfenins e Alfinetes é minha experiência de estreia com a autora, professora universitária e pesquisadora/coordenadora do Instituto de Tropicologia da Fundação Gilberto Freyre. Conheci Fátima Quintas por meio de uma amiga e posteriormente um amigo me mostrou uma crônica de jornal assinada por ela... Foi o estopim para que eu me adentrasse em seus escritos... 
Alfenins traz um título curioso e na verdade trata-se de um compilado de fragmentos da autora, discorrendo sobre temas diários de nosso cotidiano, com uma linguagem poética e sensível de se enxergar as coisas. Ela fala sobre o amor, a saudade, sobre o Recife [sua terra natal] e sobre o perdão. Vai do ócio à nudez com maestria. Do poder à pureza, com toques de racional. 

"Estou vazia. À espera dos exageros."

As frases soltas que compõem este livro nos dão uma pequena e significativa mostra do poder de escrita que Fátima possui. Impossível não se enxergar nos pequenos textos, nos devaneios bucólicos dela e não se permitir ir além das reentrâncias de seus versos. Os fragmentos de Fátima Quintas são como poesias cantadas, que fazem eco ao nosso interior e nos levam a viajar em pensamentos líricos...

Em suma, Alfenins e Alfinetes é uma excelente pedida para aqueles que desejam se familiarizar com sua escrita, e certamente irá agradar aos já familiarizados com seus textos... 

"Neste final de ano, não riscarei o menor detalhe da agenda antiga. Vou perseguir os mesmos tópicos, somando pedaços espalhados por aí afora, adicionando amigos ao meu bem-querer, insistindo nas buscas em que fracassei."

╬† ...Retrospectiva 2017... ╬†

| 13 dezembro 2017 | 17 Comentários |
E cheguei a mais um ciclo concluído. 32 anos. Sou uma autêntica balzaquiana e confesso estar aproveitando ao máximo essa minha fase... Fazendo a retrospectiva de tudo que vivenciei esse ano, sinto que dei alguns passos à frente em minha evolução pessoal... Mas ainda tenho muitos degraus a galgar e montanhas para serem escaladas... 

No campo pessoal, profissional e literário tive várias conquistas e vivi momentos que através de um post como esse se perpetuam na posteridade... ou até enquanto durar o bom e velho google, com todas as nossas contas conectadas a ele... 

Logo no início do ano me reuni ao meu grupo de amigos da faculdade e fomos passar um final de semana em Igarassu e Itamaracá. Visitei igrejas antigas, tomei banho de mar, me diverti, me emocionei e fortaleci ainda mais os laços com essas pessoas maravilhosas que se fazem sempre presentes em minha vida. Sou grata ao cosmos por ter conhecido vocês...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em

Alguns dias depois meus amigos Lili e Renê vieram me visitar, e juntos com Magali fizemos um pequeno 'tour' por Olinda, Recife Antigo e as praias do litoral sul. Me deparei com a praia de Suape e quis me eternizar em areia ali... um pequeno paraíso pra chamar de meu no mundo...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Bem no fim das férias eu conheci uma pessoa que se tornou especial em minha vida. Um amigo que sempre me apoia em minhas decisões, ouve meus planos sem rir deles, por mais que possam parecer bobos e tem o mesmo amor pela literatura e pela História que eu tenho. Ireno é uma pessoa iluminada que eu sempre farei questão de ter na vida...



Depois de muitos anos resolvi brincar um pouco no carnaval. E ainda arrastei uns amigos queridos comigo. De última hora comprei uns acessórios, montei a fantasia e lá estava eu, pulando entre as katraias de Paudalho. E - pasmem! - me diverti. Bya e Lou, melhores companhias.

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


No campo profissional, além de continuar na escola que trabalho desde 2013, ainda consegui um contrato pela prefeitura e comecei a dar aulas para o EJA - Educação para Jovens e Adultos. Três noites de minhas semanas são dedicadas a três turmas em duas escolas. Com o decorrer dos meses, aprendi a conviver com pessoas distintas de mim, com religiões, ideais, realidades, sonhos e perspectivas diferentes, e tem sido um aprendizado poder estar com esses alunos, que acabam me ensinando muito sobre a vida... é uma troca de conhecimento e afeto que dinheiro nenhum no mundo pode comprar...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Fui a uma festa de aniversário de uma de minhas alunas do Fundamental. Não sou muito dada a festas e eventos sociais, mas senti que precisava despertar em mim uma vontade de me cuidar, valorizar a minha imagem e tentei caprichar pra me sentir bem comigo mesma. Confesso que fiquei espantada com meu visual, não pensei que elegância combinasse comigo... hahahah

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


E eu serei titia novamente. Minha irmã vai dar um irmão caçula para Miguel. Estamos esperando o pequeno grande Nicholas para o começo de janeiro. 

Fiz algumas visitas a exposições de arte e museus. Na Caixa Cultural de Recife visitei uma mostra de Lula Cardoso Ayres, Colorismo de Potero, Pelos ares [de Lu Marini], Ukiyoe - a magia da gravura japonesa, O recife de Antigamente e Colagens, de Henri Matisse. Fui pela primeira vez ao Museu da Abolição, ao Castelo Brennand, à Oficina Brennand e ao Forte das Cinco Pontas. 
Minha parceria com a Editora Companhia das Letras foi renovada e com muito prazer prossegui 2017 com leituras maravilhosas no decorrer dos meses, e que vocês podem encontrar resenhas falando sobre tais leituras aqui neste link...

Então... aos 31 comecei a fazer terapia... senti a necessidade e depois da ajuda de algumas pessoas pra lidar com momentos desgastantes e difíceis, vi a possibilidade tomar forma real quando me vi em frente ao consultório, sozinha, com a coragem que não sabia que tinha, e resolvi encarar meus problemas de frente. Tem sido importante pra mim e recomendo a todo mundo que faça também. Apesar de ainda ter muito a ser desenvolvido mais a frente, senti uma melhora significativa em meu cotidiano e na maneira de enxergar as coisas...

Meu marido passou uns dias em Garanhuns, à trabalho, e num final de semana me arrastou com ele pra conhecer essa bela cidade do nosso agreste pernambucano. Visitei monumentos, parques, praças, senti aquele clima frio da região, me deliciei com a comida do lugar e fiz a aventura toda na traseira de uma moto. Sim, meu marido e eu cruzamos um  longo percurso por quase 4 horas encima de uma moto. [sou dessas u.u]




Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Depois de um hiato de dois anos, resolvi riscar meu corpo novamente. E a tattoo da vez foi um tabuleiro Ouija nas costas. Doloridas seis horas de sessão e eis minha mais nova arte corporal...

Organizei com meus companheiros de trabalho o Arraiá CEPI, Semana do folclore, Semana da árvore, Halloween, gincanas do estudante e o Dia de los Muertos. Esse ano foi bem produtivo na Arte do Fundamental...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Ano ímpar é ano de Bienal do livro aqui em Pernambuco. Além da excursão com os alunos do 8º e 9º anos, ainda visitei o Centro de Convenções no último dia do evento e sai lotada de livros...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Fiz uma visita à cidade de Vicência com alguns amigos da faculdade, tomei licor e cachaça de alambique num engenho local, além de percorrer a estrada e o centro da cidade antes de voltar pra casa... Incrível como um domingo pode se tornar tão interessante com boas companhias e uma cidade vizinha pra se conhecer... 

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Houve também a viagem anual ao parque de diversões Mirabilândia e me diverti bastante. Como criança, mesmo no auge dos trinta e um anos... hehehe

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


No feriado Finados acabei indo passar uns dias em Pitimbú, na Paraíba. Conheci a famosa Praia Azul, e ela também se tornou um dos meus locais preferidos do mundo... 

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Por último e não menos importante, visitei no último sábado o parque aquático da cidade de Moreno, aqui mesmo em meu estado. Nunca tinha ido por lá antes, e pegar a estrada é coisa que alegra um sagitariano como uma caixa de papelão empolga um gato. Foi um dia maravilhoso na companhia de meus alunos e companheiros de trabalho...

Bem, tentei me ater aos acontecimentos mais relevantes de minha trajetória neste ano e aproveitando ser também meu aniversário, quero agradecer por todos aqueles que permaneceram comigo mesmo quando eu estive na pior, sou grata por ter conhecido tanta gente legal e afetuosa, por me permitir amar com mais intensidade o respirar, a noite, o sol, o cheiro do mar e o barulho de chuva no telhado. Que eu consiga manter as conquistas que alcancei, as amizades que formei e saiba aproveitar os risos que as coisas simples e espontâneas me tiram do rosto... 

Entre mortos e feridos, diante do chaos mundial, até que meu pequeno universo saiu imune às desgraças mais aterradoras... Aproveito pra me despedir de 2017 com mais algumas pequenas e singelas realizações, tenho até o dia 31 do mês para isso... 


Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em

† Tradutor... †

†...visitas ao redor do mundo...†

† Estou lendo...†

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...