Escritores e Bicicletas...

| 16 agosto 2017 | 0 Comentários |


"Quando eu vejo um adulto em uma bicicleta, eu sinto esperança na raça humana.”
H. G Wells

Eis uma frase que resume bem a ideia dessa postagem: O hábito saudável de andar de bicicleta praticado por grandes escritores. Quem disse que bicicletas não combinam com o amor pelos livros?


Julio Cortázar posando com sua magrela...


Patti Smith, poeta, cantora, compositora e admiradora de passeios de bicicleta...


Ray Bradbury, autor de livros como o clássico distópico Fahrenheit 451...


a poeta Sylvia Plath...


Ernest Hemingway se equilibrando na bike...



Em 1895, Leon Tolstoi já era entusiasta da prática...


Registro de Arthur Conan Doyle em 1892, na companhia de sua esposa...


Famoso pelo livro Um bonde chamado desejo, que ganhou adaptação para o cinema trazendo Marlon Brando em cena, Tenessee Williams, em 1970, andando de bicicleta...


Não poderia faltar o autor da frase que deu início ao post... H. G. Wells, andando com sua esposa e um amigo... 


Marilyn Monroe e seu marido Arthur Miller, escritor...


Henry Miller pedalando em Santa Monica.



Ítalo Calvino, autor italiano.









E você, tem o hábito de pedalar como lazer ou prática de exercícios? Além de fazer bem à saúde, não polui o ambiente e dá pra se divertir com a paisagem... Andar de bicicleta traz uma verdadeira sensação de liberdade... 
O bom mesmo é encher a cesta com sacolas de livros... hehehe...


Beijos e até a próxima...


Estive em Lisboa e lembrei de você, de Luiz Ruffato

| 15 agosto 2017 | 0 Comentários |
Recentemente fiz a leitura de uma obra intitulada Estive em Lisboa e lembrei de você, do escritor Luiz Ruffato, a quem eu já tinha me familiarizado com a escrita depois da leitura de Eles eram muitos cavalos, um livro de contos que - salvo alguns textos - não me prendeu a atenção como eu gostaria... Mas eis que por insistência resolvo revisitar suas letras e me deparo com uma escrita apaixonante, que me fez ter vontade de voltar à primeira obra...


A história inicialmente é ambientada em Minas Gerais e divide-se entre o momento em que o protagonista Serginho deixa de fumar até o momento em que ele volta a fumar. Entre essa recaída, muitas coisas hilárias acontecem com o personagem, fatos corriqueiros mas que de tão inverossímeis parecem ser frutos de uma grande invenção. 

A verdade é que a partir de alguns infortúnios a vida de Serginho vai tomando rumos inacreditáveis e o destino faz com que ele vá morar em Lisboa. Ele tem esperança que as coisas vão mudar para melhor se ele for tentar ganhar a vida em terras europeias mas da teoria para a prática não é muito fácil chegar a esse intento...

Serginho se depara com um casamento após uma vida de boêmia, com a paternidade, insanidade, morte e mudança. Sua aventura rumo ao amor e prosperidade passa por humilhações e dificuldades que - contadas pelo autor - se tornam leves pela ironia que carregam. A prosa de Luiz Ruffato se revela poderosa e conduz o leitor por uma leitura frenética que almeja um desfecho inusitado. Um baque seco definiria o final de Estive em Lisboa e lembrei de você. Daqueles baques que nos deixam em suspenso ao chegar no ponto que encerra a ficção com ares de realidade crua e nua. 


O estranho [e louco, absurdo] mundo de Tim Burton...

| 12 agosto 2017 | 11 Comentários |
Publicado pela Editora Leya e relançado em outra roupagem um tempo depois, O estranho Mundo de Tim Burton é mais um titulo que tive o prazer de ter em mãos... Admiro o trabalho do diretor há muito tempo e conhecer um pouco sobre o processo de construção de sua filmografia foi uma bela e prazerosa experiência...


Escrito por Paul A. Wood, o livro nos traz uma pequena amostra da figura mítica do cinema Tim Burton, de sua estranheza desde a infância até o estrelato em que assina obras como O estranho mundo de Jack, A noiva-cadáver e Os fantasmas se divertem. Ao longo dos anos como diretor, firmou parcerias com nomes importantes como Danny Elfman, vocalista do Oingo Boingo, que compôs a trilha sonora de vários de seus filmes. Johnny Depp é outro nome que figura entre os trabalhos de Burton, dando vida a personagens icônicos que entraram para a história da sétima arte, entre eles Edward Mãos de tesoura, Willy Wonka de A fantástica fábrica de chocolate e Ichabod Crane, em A lenda do Cavaleiro sem cabeça.


"O Edward Mãos de Tesoura pode parecer o oposto do Freddy Krueger para algumas pessoas. Suas mãos são igualmente perigosas, mas ele não tem como ser mais doce e triste."

De maneira cronológica, o leitor é apresentado ao Estranho mundo de Tim Burton e seus cabelos desgrenhados à la Robert Smith do The Cure, a sua genialidade por vezes subestimada e a Fantasia que permeou seus sonhos de criança e que ganharam vida nas telas, seja com efeitos em computação gráfica, stop-motion ou interpretações surreais em cenários mórbidos.


O livro é um excelente compilado de informações sobre os bastidores de seus filmes, válido para fãs de seu trabalho, apaixonados pelo Cinema ou mesmo para aqueles curiosos que sentem fascínio em saber como funcionam os olhares por trás da câmera. Traz imagens e curiosidades notáveis, além de algumas entrevistas realizadas com o diretor ao longo dos anos... Sem sombra de dúvidas, uma obra interessante de se ter na estante...


Da Poesia de Hilst

| 11 agosto 2017 | 6 Comentários |
A poesia de Hilda Hilst foi compilada num volume lançado recentemente pela Editora Companhia das Letras e com prazer me deleitei numa leitura densa e poética de uma das mais significativas escritoras que nossa literatura já teve... 



Da Poesia reúne textos que datam desde a década de 1950 até sua obra escrita pouco tempo antes de sua morte, em 2004. Foi na poesia que Hilst começou sua carreira. Em seus versos ela retratava o amor, a amizade, sexo e morte mescladas à doses de solidão e existencialismo. Há um quê de espiritualidade e busca pelo divino pairando em sua obra. Publicada inicialmente por editoras menores, Hilda almejava ser lida, sua escrita febril e mítica não possuía irreverência. 

Fábulas, prosa, poesia são parte de sua contribuição literária. 

"Me mataria em março
se não fosse a saudade de ti
e a incerteza de descanso."

Somos ainda presenteados com desenhos criados pela própria Hilda no título Da morte. Odes mínimas, de 1980. Da Poesia traz as publicações em ordem cronológica, além de poemas inéditos e seus esboços. Hilda criou palavras, é possível encontrá-las ao longo de seus textos, tais como malassombros e vezenquando.

Lendo Hilda, sentimos o quanto ela necessitava dialogar com o leitor, indo além... Hilda desejava dialogar com a arte em si. "Hilda escreveu com a tinta da melancolia, a pena da galhofa e, sobretudo, um corpo humano. De mulher."  

"Uns ventos te guardaram. Outros guardam-me a mim. 
[E aparentemente separados
Guardamo-nos os dois, enquanto os homens no tempo
 [se devoram."


A ode de Fagner à Florbela

| 10 agosto 2017 | 12 Comentários |
Fagner é um renomado artista brasileiro, aclamado por gerações que apreciam música de qualidade e seus versos apaixonados são cantados por uma legião de apaixonados por suas canções. Seu amor pelas letras se reflete em alguns de seus trabalhos, verdadeiras odes à poesia, e nesse post falo em especial de sua relação com a obra de Florbela Espanca, uma das minhas poetas preferidas...



Em 1981 Fagner lança o álbum Traduzir-se, um de seus discos mais conceituados. O cantor musicou o poema Fanatismo, publicado em 1923, na obra Livro de Sóror Saudade

Fanatismo

Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão de meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida...
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!

Tudo no mundo é frágil, tudo passa...
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, vivo de rastros:
"Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!..."



No ano seguinte, ele lança o álbum Sorriso Novo, trazendo mais uma vez a poesia de Florbela musicada em duas faixas: Fumo e Tortura, sendo a primeira encontrada no Livro de Sóror Saudade e a segunda no Livro de Mágoas, publicado em 1919.

Fumo

Longe de ti são ermos os caminhos,
Longe de ti não há luar nem rosas;
Longe de ti há noites silenciosas,
Há dias sem calor, beirais sem ninhos!

Meus olhos são dois velhos pobrezinhos
Perdidos pelas noites invernosas...
Abertos, sonham mãos cariciosas,
Tuas mãos doces plenas de carinhos!

Os dias são Outonos: choram... choram...
Há crisântemos roxos que descoram...
Há murmúrios dolentes de segredos...

Invoco o nosso sonho! Estendo os braços!
E ele é, ó meu amor pelos espaços,
Fumo leve que foge entre os meus dedos...



Tortura

Tirar dentro do peito a Emoção,
A lúcida Verdade, o Sentimento!
– E ser, depois de vir do coração,
Um punhado de cinza esparso ao vento! ...

Sonhar um verso de alto pensamento,
E puro como um ritmo de oração!
– E ser, depois de vir do coração,
O pó, o nada, o sonho dum momento ...

São assim ocos, rudes, os meus versos:
Rimas perdidas, vendavais dispersos,
Com que eu iludo os outros, com que minto!

Quem me dera encontrar o verso puro,
O verso altivo e forte, estranho e duro,
Que dissesse, a chorar, isto que sinto!! 


No ano 2000, em comemoração aos seus 50 anos, o cantor incluiu em suas faixas bônus o Soneto L Charneca em flor, e no álbum Raimundo Fagner ao Vivo, ele ainda musica o poema Chama Quente.


Chama quente

Gosto de ti apaixonadamente
De ti, és a vitória, a salvação
De ti, que me trouxeste pela mão
Até o brilho desta chama quente.

A tua linda voz de água corrente
Ensinou-me a cantar... é essa canção
Foi ritmo nos meus versos de paixão
Foi graça no meu peito de descrente.

Bordão a amparar minha cegueira,
Da noite negra o mágico farol,
Cravos rubros a arder numa fogueira!

E eu, que era no mundo uma vencida,
Ergo a cabeça ao alto, encaro o sol!
Águia real, apontas-me a subida!



Postagens relacionadas:



Florbela Espanca, poeta portuguesa

Os versos de Florbela na voz de Fagner são uma verdadeira ode a beleza. Este post é dedicado aos apaixonados pela música, aos poéticos e aos que deliram de amor...

Seleção de Melhores Poemas de Cecília Meireles

| 06 agosto 2017 | 9 Comentários |
"De que são  feitos os dias?
- De pequenos desejos,
vagarosas saudades,
silenciosas lembranças."

Nos versos criados por Cecília Meireles encontramos a arte e a técnica, homogeneamente apresentadas em seus poemas. A Global Editora possui uma linda edição de poemas selecionados por uma das filhas da poeta, Maria Fernanda, rendendo ao leitor apaixonado pela poética de sua obra alguns momentos de êxtase literário e contemplação das palavras...


Melhores Poemas é um compilado de trabalhos como Romanceiro da Inconfidência e Canções. Cecília é um dos grandes nomes femininos de nossa literatura e abarca o sensível em seus poemas, chegando a inspirar artistas como Fagner a musicar seus versos...

"Quando penso no teu rosto,
fecho os olhos de saudade;
tenho visto muita coisa,
menos a felicidade.
Soltam-se em meus dedos tristes,
dos sonhos claros que invento.
Nem aquilo que imagino
já me dá contentamento."

A obra traz ainda uma cronologia da vida e obra da autora, bem como dados biográficos de suas publicações. Melhores poemas procura abarcar diversas fases da produção poética de Cecília, excetuando-se apenas o início de sua carreira. A edição tem a doce tarefa de inserir a obra da autora a um público até então desconhecedor de seus versos, a fim de que se aprofundem ainda mais na herança literária que ela deixou para a Poesia brasileira.

"aprendi com as primaveras a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira."


Minha 9ª tattoo - Since 1985

| 04 agosto 2017 | 9 Comentários |
Assim como o símbolo de História que fiz na perna, o Since 1985 também foi tatuado no mesmo dia, em 22 de fevereiro de 2011... A explicação para essa tatuagem é muito simples: 1985 é o ano de meu nascimento...

Confesso que não cuidei como deveria e ela acabou desbotando, tomei sol nessa região sem usar bloqueador solar... Se não tomamos esse cuidado, os desenhos tatuados na pele tendem a ficar opacos e perdem o viço... [bloqueador sempre, peoples...]

Penso em refazê-la em outra região do corpo, fazendo uma cobertura que tenha relação com Emily Strange, a outra tatuagem que possuo na área, como podem ver na imagem abaixo...



1985 é um ano pertencente ao século XX, iniciado numa terça-feira do calendário gregoriano. No horóscopo chinês, foi o ano do Boi. Alguns dos acontecimentos pertinentes de 1985 foram:

  • Eleição de Tancredo Neves para presidente da República [e sua morte meses depois].
  • Fim da Ditadura Militar no Brasil.
  • Jogo Super Mario Bros lançado pela Nintendo. 
  • Nascimento de Lana Del Rey, em junho. 
  • Falecimento de Cora Coralina, poeta brasileira.
  • Em setembro desse ano morria também Ítalo Calvino, escritor italiano. 


  • We are the World é gravada por Michael Jackson, Lionel Ricthie e vários artistas, em campanha para combater a fome na África. 
  • 1ª edição do Rock in Rio. 
  • São fundadas as bandas Engenheiros do Hawaii, Guns N' Roses e Radiohead [queridinha da vida]...
  • Em outubro é lançado o álbum Hunting high and low do a-Ha
  • Cyndi Lauper emplaca o hit The Goonies 'r' Good Enough, trilha sonora do filme Goonies [melhor filme da minha infância, além de Cyndi ser minha inspiração para os cabelos coloridos...]. 
  • No cinema destacam-se os filmes Goonies, De volta para o futuro e Mad Max.


Em suma, as coisas relacionadas a cultura pop tem bastante influência em minha vida... E eu adoro garimpar essas pequenas e significativas coincidências...  
Então é isso... Continuem acompanhando esse tipo de post por aqui, e garanto que ainda tem muito a ser mostrado... hehehe... ^.~

[HQ] Entrevista com o Vampiro - A história de Cláudia

| 29 julho 2017 | 13 Comentários |
Anne Rice é uma das autoras mais famosas da literatura norte-americana devido ao sucesso da série As crônicas vampirescas, lançada a partir da década de 1970 e que eleva Entrevista com o vampiro ao topo da cultura pop, status ainda mais elevado quando o livro ganhou uma adaptação para o cinema estrelada por grandes nomes como Tom Cruise, Brad Pitt, Antonio Banderas e Christian Slater. Kirsten Dunst estreou como atriz e ganhou grande visibilidade ao dar 'vida' a personagem Claudia, garotinha transformada em vampira por Lestat e Louis, e condenada a passar a eternidade num corpo de criança...


A história é contada pelo ponto de vista do vampiro Louis de Pointe du Lac. Mas existe uma versão contada sob a perspectiva de Claudia, intitulada Entrevista com o vampiro - A história de Claudia. E o mais interessante dessa versão é que ela é em quadrinhos, ilustrada e adaptada por Ashley Marie Witter e publicada aqui no Brasil pela Editora Rocco.

Claro que alguns pontos da trama original não foram inseridos no contexto da HQ pelo fato da personagem Claudia não ter surgido desde o princípio da história. Mas a narrativa em nada é prejudicada devido a esse fator... A existência de Claudia soa a abominação, mesmo entre as criaturas da noite. É uma menina de cinco ou seis anos, que vive ao londo de décadas presa a este corpo infantil, enquanto sua mente se desenvolve a idade adulta, indo além pela sua nova condição [imortal]...

As ilustrações são um banquete a parte, tornando a obra ainda mais requintada. Possui um enredo fluído e até quem não leu o original ou viu o filme vai compreender a história. 


Em suma, é um titulo digno de se ter na estante, principalmente para aqueles apaixonados por histórias de vampiros, contadas com a classe que Anne Rice soube dar a seus personagens... 

O sobrado, de Amílcar Dória Matos

| 28 julho 2017 | 19 Comentários |
Trago para o blog as minhas impressões acerca do livro intitulado O sobrado, publicação da Edições Bagaço, escrito pelo autor pernambucano Amílcar Dória Matos. Amílcar discorre em primeira pessoa um tema já meio esgotado no mundo literário, mas que através de uma prosa fluida, acaba compensando esse pormenor...


O sobrado é uma novela narrada pelo protagonista Renê, homem de meia idade que acaba se apaixonando por uma garota de apenas 14 anos, filha caçula de seu grande amigo e vizinho. Ele vai se desvelando ao leitor desde o inicio os seus conflitos morais até o ápice que certamente pode culminar em tragédia. 

Na narrativa de Renê, Olga dá a entender que também o deseja, e ele luta com todas as suas forças para impedir que se dê algum contato físico com a menina. Ela possui duas irmãs, Olívia e Olympia, esta última noiva de Reginaldo, no qual em uma conversa a sós com Renê, acaba lhe revelando o que se passa a vista de alguns... Renê se desespera em saber que seu tão temido segredo possa estar a olhos vistos por todos que frequentam o sobrado da familia de Brivaldo.

O romance proibido é um tema recorrente que certamente encontra entre leitores um público apreciador. O que agrada na escrita de Amílcar, é o ritmo quase cadenciado com que ele desenvolve seu enredo... 

Em suma, O sobrado é uma leitura rápida, que prende a atenção e nos surpreende com um desfecho bem construído e impactante...

"Quem se lançar à irresponsável aventura de pesquisar a fundo os sentimentos humanos, estará fadado à decepção e ao desastre."

Recife - Cidade das pontes, dos rios, dos poetas e dos carnavais

| 25 julho 2017 | 11 Comentários |
Recife é terra de encantos mil. Eu, como pernambucana, sinto orgulho desse pedaço de terra abençoado e  encantador, que apesar dos inúmeros problemas sociais existentes nos tempos recentes, ainda carrega nas pontes que a enlaçam uma beleza de pôr-do-sol espelhado em suas águas, em contraste com os prédios e sobrados decadentes, deixando a paisagem ainda mais bucólica...


Recife - cidade das pontes, dos rios, dos poetas e dos carnavais é uma obra ricamente ilustrada por Tati Móes, realizada por Lenice Gomes e Hugo Monteiro Ferreira. Trata-se da história da origem da cidade de Recife, desde os primórdios do século XVI em que o Brasil era colônia de Portugal. 

De maneira cronológica, o livro vai avançando ao longo dos séculos, trazendo informações notáveis sobre o desenvolvimento da cidade, como a produção de açúcar que levou a capitania de Pernambuco ao status de mais desenvolvida do período colonial, à invasão holandesa, à presença de Maurício de Nassau em Recife e as 'desavenças' entre a cidade e sua vizinha, Olinda. A obra aborda a importância dos rios para a estrutura física e econômica da cidade, a construção de prédios importantes como o Teatro Santa Isabel e de que figuras ilustres da nossa poesia ela foi berço  [João Cabral de Melo Neto, Mauro Mota e Manuel Bandeira.] 

Por fim, nos apresenta um pouco da cultura carnavalesca pernambucana, o frevo, o maracatu e o bloco do Galo da Madrugada, que atrai todos os anos milhares de pessoas de todo o país, - e turistas estrangeiros também - para prestigiar nossa cultura. 

Em suma, o livro é encantador, e certamente vai causar em todo aquele que não é recifense um sentimento de pertencer à estas paragens... 


[Poema] Nenhuma outra viajará pela sombra comigo - Pablo Neruda

| 24 julho 2017 | 14 Comentários |


"Já és minha. Repousa com teu sonho em meu sonho.
Amor, dor, trabalho, devem dormir agora.
Imagem do Google
Gira a noite sobre suas invisíveis rodas
e junto a mim és pura como âmbar dormido…
Nenhuma mais, amor, dormirá com meus sonhos…
Irás, iremos juntos pelas águas do tempo.
Nenhuma viajará pela sombra comigo, só tu.
sempre viva. sempre sol… sempre lua…
Já tuas mãos abriram os punhos delicados
e deixaram cair suaves sinais sem rumo…
teus olhos se fecharam como
duas asas cinzas, enquanto eu sigo a água
que levas e me leva.
A noite… o mundo… o vento enovelam seu destino,
e já não sou sem ti senão apenas teu sonho…"

in Cem sonetos de Amor.

Uma vez, de Morris Gleitzman

| 23 julho 2017 | 10 Comentários |
Recentemente a Editora Paz e Terra, do Grupo Editorial Record lançou o título Uma vez, do escritor australiano Morris Gleitzman. Tata-se de uma obra voltada para o público juvenil mas que pode emocionar o leitor mais sensível que aprecie histórias ambientadas na Segunda Guerra Mundial...



Narrado em primeira pessoa na figura de uma criança judia de apenas 10 anos, conhecemos a história de Félix, que não compreende as mudanças que estão ocorrendo ao seu redor, e sente falta dos pais, que o deixaram por tempo indeterminado num orfanato cristão. Imaginando se tratar de alguma brincadeira de fingir, o menino segue as instruções de não falar de sua origem, principalmente na frente dos estranhos homens fardados que volta e meia visitam o local a procura de algo suspeito...

Seus pais eram livreiros e após presenciar livros judeus sendo queimados, o pequeno pressente que sua familia pode estar em perigo e passa a tentar compreender aquele ódio aos livros de seu povo, que provavelmente se estende ao próprio povo... Ele acaba fugindo do orfanato a fim de encontrar seus pais e no caminho encontra cenas desalentadoras, chegando a salvar uma frágil vida de um incêndio... A partir desse momento  ocorre o 'amadurecimento forçado' de uma criança, que passa a enxergar os perigos reais que lhe acometem e que precisa sobreviver em meio a uma terra devastada por falta de comida, mortes, incêndios e perseguições... 

O processo de aprendizado de Félix é doloroso ao leitor, ainda mais por sabermos que esse tipo de situação pode muito bem ter acontecido na realidade naqueles anos sombrios de guerra. A trama escrita por Gleitzman não é baseada numa história de fato real, mas que através dela é possível fazer uma conexão com o passado de muitos judeus que morreram ou sobreviveram aos horrores do Holocausto. Uma Vez é uma espécie de resgate dessas histórias há muito perdidas devido a intolerância humana... Certamente uma leitura que vai emocionar aqueles que se aventurarem por suas páginas...


Caixa de Correio Junho/2017

| 20 julho 2017 | 8 Comentários |
Olá, leitores queridos do Torpor... Curiosos pra saber quais novidades andei recebendo durante o mês de Junho? Essa postagem deveria ter saído no começo desse mês, mas acabei protelando, protelando... mas finalmente tô trazendo a vocês os títulos que troquei, ganhei, recebi em parceria e afins... Tem muita coisa, ainda bem que minhas caixas são quase sempre recheadas... E tento trazer conteúdo pro blog a partir dessas aquisições... Vamos lá, sem mais delongas... 

Parceria


Recebi de cortesia do autor parceiro Anderson Henrique seu mais novo lançamento, o livro de contos intitulado Chame como Quiser. Fiz a leitura de alguns dos contos e estou amando... Logo trago resenha dele aqui pra vocês...




Colecionismo

Venho tentando comprar algumas estatuetas da Coleção One Piece da Salvat. Não terei dinheiro para comprar todas as peças mas pretendo completar pelo menos o bando do Chapéu de Palha... Eis a nova aquisição abaixo, o cozinheiro bom de pernas e mulherengo Sanji


compra da Amazon

Não resisti [e quem consegue?] a uma super promoção da Amazon e joguei no carrinho um mangá [Suicide Club], O oceano no fim do caminho, de Neil Gaiman e a HQ Do Inferno, que estava com um super desconto, levando em conta seu preço geralmente salgado... Um pouco caro mas valeu a pena o investimento... Pretendo ler e trazer resenha dele pra cá tão logo possa... 


compras avulsas

Passeando pela Feirinha da Rua do Bom Jesus, no Recife Antigo, me deparo comum sebo móvel, e de cara me deparo com essa edição de Contos de Grimm... Li vários deles quando criança e pela nostalgia resolvi trazê-lo para casa... 


Pela banca de revistas aqui de minha cidade,acabei comprando uma edição de Os anos de ouro de Mickey, além do volume #10 de FullMetal Alchemist e O livro de ouro da mitologia... 




Cartas de Amigos


Recebi da queridona Patricia Costa, do Dose Literária, uma cartinha cheia de panfletos e um catálogo de Conceição Evaristo, das exposições que ela visita e da viagem que fez recentemente ao Uruguai. Fiquei muito grata coma bela surpresa e lembrança... Obrigada, Pathy



Parceria

De parceria e cortesia, chegaram os livros Da poesia - Hilda Hilst, pela Companhia das Letras e Entrevista com o vampiro - Anne Rice, pela Editora Rocco, parceira do Poesia na Alma, em que sou resenhista. Tem resenha dele lá e aqui... O de poesias de Hilda logo terá postagem com minhas impressões aqui no blog... 



Cortesia 


Ainda nas cortesias recebidas para resenhas primeiramente no Poesia na Alma, chegaram os livros da Editora Record: Uma vez, O segredo de Heap House, Belas Maldições e A astúcia cria o mundo


Pela Global Editora, recebi Geografia dos Mitos Brasileiros, de Luis da Câmara Cascudo. Ansiosa para fazer a leitura e certamente irei utilizá-lo em um projeto de pesquisa...


Alguns marcadores da Editora Rádio Londres que Lili gentilmente me cedeu...


Troca de Sebo


Em meus sagrados passeios pelo Sebo do Dedê, em Carpina-PE, fiz algumas ótimas trocas... Alguns já foram lidos e aos poucos vou soltando as resenhas... 
Melhores Poesias de Cecilia Meireles, Concerto para corpo e Alma, Amor e Variações sobre o prazer, de Rubem Alves



Trouxe ainda A república dos sonhos, de Nelida Piñon e outra edição de A lista de Schindler, deixando a minha antiga por lá... E outros títulos trazidos pra casa numa das tardes maravilhosas que passo por lá foram Um brinde de cianureto - Agatha Christie, O terror - Edgar Wallace, Platero e eu - Juán Ramón Jiménez, Thomas o impostor - Jean Cocteau, Mas não se mata Cavalo?- Horace Mccoy, O gato - Georges Simenon, Guerra dentro da gente - Paulo Leminski e O menino do dedo verde - Maurice Druon. 



Presentes que ganhei de Ireno


Esses eu tive que separar numa categoria HAHAHA Tenho um estimado amigo que conheci no sebo que volta e meia me presenteia com livros e quadrinhos... Esse mês acabei ganhando lindas edições e vim compartilhar delas com vocês... Meu muito obrigada pelo carinho e amizade, Ireno.


O alienista em quadrinhos e Na volta da Esquina - Mário Quintana.


uma linda HA de A guerra dos Tronos, do grandioso George R. R. Martin. Logo tem resenha dele aqui também...


Uma edição em espanhol de Misericordia, do escritor Benito Pérez Galdós. Logo com essa capa maravilhosa, um dos meus quadros preferidos [Saturno devorando seu filho, do pintor espanhol Goya]..


Ainda na lista de presentes, umas edições bem antigas de O retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde, Inferno em espanhol, de Dante Alighieri e o volume dois de Madame Bovary...


Risíveis amores, de Milan Kundera, Eu sei que vou te amar, de Arnaldo Jabor e Contos de verdades, de Aldyr Garcia Schlee...


Uma edição bem antiga de A capital, de Eça de Queiroz e Salammbô, de Flaubert. 


Uma edição em espanhol do livro El cuaderno de Maya - Isabel Allende, América - histórias, delirios e outras magias, do historiador Leon Pomer, e acabou saindo na mesma photo uma imagem de uma compra que fiz do livro As independências da América Latina. 



A origem curiosa das palavras, de Márcio Bueno. Ando bem curiosa pra fazer essa leitura...


Para finalizar, mais um título de Rubem Alves e dois livros do autor Jostein Gaarder: Através do espelho e A biblioteca mágica de Bibbi Bokken


Só tenho a agradecer a esses amigos que fazem minha alegria HAHAH
Enfim, finda a caixa de correio... Até eu pensei que não acabaria mais esse post... hehehe...


Beijos e até a próxima, amores... ^.~ 



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...