Faça boa arte, por Neil Gaiman

| 06 junho 2017 | |
Em maio de 2012 Neil Gaiman fez um discurso numa celebração de formatura da University of the Arts na Filadelfia. Foram quase vinte minutos encorajando os jovens que ali estavam presentes com suas ideias de dedicação, força e como usar o tempo para adquirir sabedoria... De maneira inusitada, ele falou em quebrar regras, em não pensar muito, em se desgastar menos... Os futuros pintores, escritores e músicos que saíram dali aquele dia certamente levaram a lição de Gaiman para o futuro restante de suas vidas repletas de sonhos na bagagem...


Gaiman relatou como se deu o início de sua carreira, dos contratempos que surgiram e que de alguma forma, acabaram sendo tão importantes quanto o sucesso que obteve nas primeiras investidas artísticas. O segredo era não se cobrar em demasiado, embora a situação pedisse por isso na maioria das vezes. 

Ele não discursou a fim de que tais ouvintes fizessem de suas palavras um manual de instruções a ser literalmente seguido. Mas pediu que fizessem boa arte ao sair dali. Arte dos acertos e também aquela que nasceria dos erros...
"Às vezes o caminho para fazer o que você quer vai ser simples e direto, e às vezes será quase impossível decidir se você está fazendo ou não a coisa certa, porque vai precisar equilibrar suas metas e sonhos com comprar comida, pagar as contas e arranjar trabalho, aceitando o que conseguir."
Ele também falou sobre o fracasso que em alguns momentos vai bater a nossa porta, que o dinheiro não é o principal objetivo na vida, que muitos se sentiam frustrados por serem escravos  dos benefícios que o dinheiro lhes trazia, fazendo com que não fizessem outra coisa na vida além de juntar dinheiro, pondo os sonhos em segundo plano. Que por mais que possamos nos espelhar e se inspirar em outros artistas, nós temos nossa própria arte, que por vezes o que menos esperamos é o que mais dá certo. 

É preciso relaxar e aproveitar a viagem louca que é a vida, com seus altos e baixos, suas surpresas agradáveis, e outras nem tanto assim... Temos que viver e criar no 'entre' que existe no meio do nascer e morrer...

O discurso "Faça boa Arte" é uma leitura agradável, rápida e que nos deixa conjecturando sobre a arte, a vida, o futuro... 
"Deixem o mundo mais interessante por estarem nele."

9 Comentários:

Faby Souza Says:
09 junho, 2017

Ola Val, tudo bem?
Curto muito livros assim, historiaras reais sobre perdas e vitorias. Eles nos ajudam muito a superar nossos próprios obstáculos além de servos de inspiração Amei a sua dica, lerei sim assim que puder. Beijos

Liziane Goulart Says:
09 junho, 2017

Oi!!
Nossa eu não conhecia esse livro.
Imagino que o texto deva instigante e para quem já lei algo do autor é uma maneira de conhecer os seus pensamentos.
É sempre dificil quando a gente está se formando, pensamos tanto no futuro, se vamos conseguir realizar tudo que imaginamos e um discurso como esse é incentivador.
Beijão!

Morgana Brunner Says:
09 junho, 2017

Oiii Maria, fiquei bastante instigada de ler esse livro, principalmente por causa do discurso, em tão pouco que poderia nos passar sabedoria, com toda certeza quero ler, ainda mais que é agradável e rápida.
Beijinhos

Gleyse Vieira Says:
09 junho, 2017

Oi Val, não sabia sobre isso. Muito bacana ele ter abordado essas reflexões em seu discurso. Ficaria encantada em ter ouvido essas palavras em minha formatura. Bjs

Livros da Beta Says:
10 junho, 2017

Maria, que dica maravilhosa! Não tinha conhecimento sobre essa obra, mas parece-me daquelas leituras obrigatórias e para todos os gostos! Lerei com certeza!

bjs
www.livrosdabeta.blogspot.com.br

Tahis Says:
11 junho, 2017

Olá Maria!
Já tinha lido a respeito desse discurso do Gaiman, e ele é maravilhoso, nós nos cobramos muito, não nos achamos suficientes e acabamos passando por cima de nós mesmos.. Desistindo de nossos sonhos e objetivos. Vivemos para trabalhar, e trabalhamos em coisas que não nos deixam felizes, apenas pelo dinheiro. Deve ter sido incrível ter a oportunidade de assistir a esses discurso!

Beijos!
http://blogdatahis.blogspot.com.br/

Livros em Retalhos Says:
12 junho, 2017

Oi, adorei essa indicação, não conhecia esse livro mas já quero, pois me identifiquei muito com essa premissa e quero ler esse discurso na íntegra. Bjs

Fabrica dos Convites Says:
12 junho, 2017

Eu que não conhecia o livro e nem estava presente na cerimônia, fiquei entusiasmada com o discurso, ou pelo menos do que você falou dele.
Bjs Rose

Literaleitura Says:
16 junho, 2017

Olá, adorei conhecer a obra. Aprece ser uma ótima leitura.

Gosto das obras do autor e estou motivada à ler também.

Abraços

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...