Florbela Espanca: Sonetos de amargura e beleza...

| 17 julho 2013 | |











"Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada... a dolorida..." 

Livro de Mágoas.




Hoje venho falar sobre uma mulher admirável, e que pra mim é a maior poetisa que já habitou nesse mundo: Florbela Espanca. 
Nascida seis anos antes do começo do século XX, em 8 de dezembro, Flor Bela de Alma da Conceição Espanca foi uma poetisa portuguesa. Viveu apenas 36 anos, mas produziu em seu curto período de vida grandes versos, uma obra marcada pelo sofrimento, angústia e tristeza. E que forma linda ela escolheu para extravasar seus sentimentos conflitantes. O teor pungente e sofrido de seus sonetos são densos, melancólicos, ela escrevia como se falasse aos seus leitores... A mistura de amargura e beleza de seus versos são uma verdadeira obra de arte literária.
Casou-se mais de uma vez, mas nenhum de seus relacionamentos foi duradouro. Seu primeiro casamento data de 1913, com Alberto de Jesus. Em 1921 contraiu matrimônio novamente, com Antônio Guimarães. Veio o segundo divórcio em 1925.

Em 1919 foi lançada sua primeira obra: Livro de Mágoas. É composto de 32 sonetos que Florbela dedicou a seu pai e a seu irmão. Nota-se a atmosfera decadente em seus versos, que tratam de dor, saudade, e, sobretudo, a mágoa que dá nome ao livro.
Florbela escrevia versos que falavam de uma vida breve. Seriam pequenos 'sinais' de que não viveria tanto tempo?




"E os meus vinte e três anos... (Sou tão nova!)
Dizem baixinho a rir: “Que linda a vida!...”
Responde a minha Dor: “Que linda a cova!”"

Livro de Mágoas.



"E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!" 

Livro de Mágoas.


O segundo livro de Florbela que tive a chance de ler foi Livro de Sóror Saudade, publicado em 1923,
composto de 36 sonetos que falam sobre um amor avassalador. Amor este que lhe devolve a a vontade de viver. Diferente de Livro de Mágoas, o tema da saudade não é tão profundo nessa obra. Infelizmente não possuo nenhum livro seu [ainda]. Os que li foram em Pdf, mas pretendo comprar tão logo surja uma oportunidade... 
Sua vida se torna ainda mais triste depois que seu irmão vem a falecer num acidente de avião em 1927. Acometida com uma doença mental, ela tenta o suicídio um ano depois da morte de seu irmão. Escreveu ainda Charneca em Flor, Diário do Último Ano, entre outros trabalhos. Em 1930, tenta o suicídio mais duas vezes. Diagnosticada com um edema pulmonar, Florbela entrega-se completamente à cova. Em 8 de dezembro de 1930, data em que completou 36 anos, toma uma dose de barbitúricos e dessa vez não escapa da morte.

Apesar de sua curta existência, o legado literário de Florbela Espanca ultrapassou os limites de sua terra lusitana e se propagou como um dos grandes nomes da Literatura e Poesia da Língua Portuguesa. Serviu de influência a grandes mestres literários e até hoje encanta e enternece os que se impressionam com sua "bela tristeza".




15 Comentários:

T. Costa Says:
17 julho, 2013

Tá aí que você escolhe a dedo Val...é uma das minhas favoritas na poesia! ;)

camila Says:
19 julho, 2013

Oiii
Eu não conhecia, gostei bastante dos trechos que colocou, são profundos, intensos..

Tem Resenha nova no Daily..

http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

Beijos

Érick Vinícius Says:
08 dezembro, 2015

PERFEITA! Ela tem uma vibe bem gótica. Eu era bem ligado a este universo aos meus treze anos e até hoje acho interessante. Muito mesmo. Curti teu blog e post.
Abraço, www.likelivros.blogspot.com

Camila Coelho Says:
09 dezembro, 2015

Eu não sou muito fã de sonetos, poesia e poemas mas vou te confessar adoro tudo que essa mulher escreve e admiro muito sua história de vida.
Um abraço
Camila Bernardini Coelho

Danielle Casquet Says:
09 dezembro, 2015

Olá Valéria tudo bem, eu sou o tipo de pessoa que não recusa uma boa leitura, sonetos, poemas me atraem e gosto muito de conhecer autores, não conhecia Florbela e gostei da identidade dela na escrita. Ela teve uma vida curta mas muito bem vivida para a época né! Bjkas

Leticia Golz Says:
09 dezembro, 2015

OI, Maria
Nossa, que história triste desse mulher gente!
Confesso que ainda não tinha ouvido falar dela, mas adorei saber um pouco mais. Tentar o suicídio tantas vezes, tem que viver muito mal mesmo.

livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

Nathália Lopes Says:
09 dezembro, 2015

Olá Valéria!
Não conhecia essa poetisa, mas fiquei encantada! Pelo visto a escrita dela é incrível e possui um toque único! Adorei!
Beijos, Garota Vermelha
www.livrosdagarotavermelha.wordpress.com

Sammysam Rosa Says:
10 dezembro, 2015

É a primeira vez que leio algo sobre Florbela, e fiquei encantada com o teor sentimental das poesias delas, os trechos do post me deixaram interessada, gosto de poesias, elas são tão especiais e emocionantes! Gostei também de saber mais da vida da Florbela, pena que por conta da doença ela acabou tendo um final trágico.

http://www.daimaginacaoaescrita.com/

Livros Encantos Says:
11 dezembro, 2015

Ola Valéria adorei a postagem, adorei os poemas, confesso que preciso sair mais de minha zona de conforto e ler mais pormas incríveis como esse, menina eles são lindos e intenso. Dica mais que anotada. beijos

Joyce
www.livrosencantos.com

Aline Coelho Says:
11 dezembro, 2015

Já tinha ouvido falar dessa poetisa mas não sabia que ela tinha levado uma vida tão atormentada e que tinha tido um fim tão trágico (suicídio). Que triste!!!
Confesso que quando passei pela adolescência tive minha fase curiosa de ler textos mais obscuros, tensos e intimistas, mas nada muito além de Augusto dos anjos, Clarice Lispector etc. mas hoje não me sinto muito confortável com temáticas assim. Mas fico feliz que vc tenha gostado da experiência.

Leituras, vida e paixões!!!

Catharina M. Says:
11 dezembro, 2015

Oláá
Não sou fã do gênero mas já ouvi falar bastante da escritora por ter uma amiga mega fã dela haha belo post

Beijos
http://realityofbooks.blogspot.com.br/

Suzzy Chiu Says:
13 dezembro, 2015

Poemas não estão mto entre as minhas leituras, confesso que nao procuro mto e eu acho até dificil entender as vezes.
Já tinha escutado falar da Florbela Espanca, mas nunca procurei saber melhor do seu trabalho e estou lendo mesmo agora no seu blog.
Ela morreu mto jovem, 36 anos e já conseguiu deixar a sua marca. Realmente pelo que li aqui, sua obra mostra melancolia, tristeza...
Parabéns pelo post e essa "bela tristeza" da Floberla é uma obra de arte.
Beijos

♥ Blog Livros e Sushi ♥
https://livrosesushi.wordpress.com/

Diana Canaverde Says:
13 dezembro, 2015

Olá.. tudo bem??
Sinceramente nunca tinha ouvido falar na autora... porém pelo que li da sua resenha não é o tipo de leitura que costumo fazer, mesmo tendo gostado demais dos quotes, para quem gosta deve ser uma leitura enriquecedora.. carregada de reflexão e sentimentos, mas pra mim não rola... Xero!!!

http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

Aline Gonçalves Says:
17 dezembro, 2015

Oie, tudo bom?
Já conhecia a autora pelo nome, mas não sabia quase nada sobre ela. Sempre me impressiono quando aprendo algo sobre alguém e dessa vez não foi diferente.
Beijos,
http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

Bruna Souza Says:
20 dezembro, 2015

oi, tudo bem?
eu não conhecia a autora, e nossa, como ela morreu jovem :(, muito triste a história de vida dela. Não sou muito fã de poemas e poesias, por isso sei que até posso ler algo de Florbela, mas demoraria, rs
beijos
http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...